Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Asparagus 111

Muitos não sabem, mas a origem do aspargo-pluma pertence a um continente não muito distante da América do Sul. A planta surgiu na África do Sul e se espalhou pelo mundo como uma verdadeira praga. Hoje, ela é conhecida em diversas partes do planeta e utilizada para várias finalidades. A principalmente dela, como sempre, é enfeitar a vida dos amantes da jardinagem.É uma planta pertencente à família das Asparegaceae.

Com aspecto de pluma, este aspargo conquistou os jardins brasileiros. É uma bela folhagem, composta de vários ramos, com folhas em forma de espinhos e pseudofolhas em forma de agulha, que se distribuem de maneira uniforme por toda a extensão da “pluma”. Na verdade, o que faz este formato ser tão interessante é a folhagem do aspargo.

De aspecto delicado, é uma planta relativamente rústica, que pode ser plantada em vasos e jardineiras, bem como adornando canteiros e conjuntos. As flores brancas e pequenas tem importância ornamental secundária.

Ela é composta de diversos ramos com folhas em formatos de espinhos e também, as pseudo-folhas em formato de agulha. Essas partes acabam por se distribuir por toda a espécie, se espalhando e deixando a mesma com um aspecto bem plumoso.

Asparagus-densiflorus-M

Uma planta rústica
Apensa de seu aspecto ser um tanto quanto incomum, o aspargo-pluma é considerado uma planta rústica com aspecto delicado. Por causa deste fator, ela pode ser facilmente cultivada em vasos ou no próprio solo do jardim, seja ele grande ou pequeno. Além disso, a espécie pode se desenvolver bem em jardineiras, também adornando canteiros e conjuntos no geral.

Flores
Para quem pensa que o aspargo-pluma só possui a folhagem completamente importante para a sua função ornamental  se enganou. A espécie também se desenvolve  fazendo crescer belas flores brancas, que apesar de ser muito bonitas e perfumadas, tem importância secundária no que diz respeito ao design e estrutura da planta.

18222298

Formas de cultivo
O aspargo-planta é de fácil cultivo, mas precisa de certos cuidados para se desenvolver bem, até porque a sua folhagem deve estar uniformemente distribuída por toda planta para dar o aspecto plumoso à mesma. Siga o passo a passo abaixo para cultivar o seu aspargo-pluma de maneira correta, a fim de enfeitar o seu jardim com eficácia.
* O primeiro passo para o cultivo da espécie, é coloca-la em um solo próprio. O local onde se planta é uma das partes mais importantes para o cultivo, já que a espécie adora crescer a meia-sombra. Não a exponha demais ao sol e nem muito menos à sombra demasiada.

* O segundo fator de grande importância para o cultivo é definitivamente a terra onde se irá plantar o aspargo. O solo deverá ser extremamente fértil, drenável e muito enriquecido com matéria orgânica de qualidade.

* Agora, o terceiro fator que irá definir o bom desenvolvimento do seu aspargo-pluma: as regas. Elas devem ser regulares e praticamente diárias. Para saber se o seu aspargo está sendo bem regado ou se a água está sendo suficiente, coloque o dedo no solo e veja se o mesmo está úmido.

Se estiver, não precisa mais regar. Evite sempre exagerar neste aspecto. Tenha sempre em mente a medida de água que se irá utilizar durante as regas frequentes.

* O aspargo é completamente tolerante ao frio. Portanto, no inverno ou na época de chuvas onde as temperaturas tendem a cair, não precisa se preocupar tanto assim com a sua plantação de aspargos. Mesmo assim, evite deixa-lo exposto a geadas, dependendo do local de plantação.

18268126_13

Vale lembrar que mesmo que o aspargo se adapte bem ao frio, em certas regiões do país, esta época do ano é demasiadamente intolerante para a espécie ou qualquer outra.

* Outro ponto importante do cultivo do aspargo-pluma é a sua forma de multiplicação. Ela se propaga através de uma divisão que preserva por completo a sua estrutura. As folhas e raízes ficam intactas durante este processo.

Embora seja numa forma natural de multiplicação, é preciso ter certos cuidados: evite plantar a mesma espécie muito próxima da outra no jardim, jardineira, quintal ou até mesmo em conjuntos. Em vasos, mesmo que eles sejam grandes, plante apenas uma espécie em cada um. O aspargo-pluma se desenvolve e também se propaga de forma rápida.

Cuidados
É preciso sempre se preocupar com o local e a quantidade de plantio do aspargo-pluma. Mesmo por ser uma espécie muito utilizada na ornamentação de quintais e jardins como um todo, ela pode se tornar extremamente invasiva, até mesmo pelo fato de sua rápida multiplicação. Evite cultiva-la em qualquer lugar. Não preze por lugares apertados ou onde ela possa se propagar incontrolavelmente.

133863504

Ciclo de vida
O aspargo-pluma possui um ciclo de vida próprio e antes de começar a cultivar a sua planta, é preciso prestar bem atenção no assunto. Seu ciclo de vida é considerado perene, além da espécie ser considerada uma verdadeira e original herbácea, como a maioria das plantas de sua família: a Asparagaceae.

A espécie também é bastante curiosa e por isso recebeu alguns nomes populares como aspargo-pluma e aspargo-rabo-de-gato.

Outras Funções
Além de poder ser cultivada em locais tradicionais como vasos de todos os tamanhos e canteiros de quintais, o aspargo-pluma também pode compor os famosos maciços.

estrada nevada

florbatom

Espécie herbácea pertencente à família Gesneriaceae, nativa de Java, uma região de florestas tropicais.

Possui folhagem perene e formato da folhagem, num todo, pendente. Costuma ser cultivada em vasos ou jardineiras postas em locais altos. Os rizomas possuem boa capacidade de otimização das funcionalidades do substrato, desenvolvendo densos caules com muitas ramificações.

As folhas são de estética simples, dispostas em pares opostos nas hastes, são ovais, acuminadas e de textura serosa. As flores dessa espécie são vistosas, de coloração vermelha, com cálice tubular de cor variando de tom esverdeado ao avermelhado, com corola na cor vermelha de formato tubular, com as pétalas espaçadas e de pontas arredondadas. Formadas nas pontas das hastes, as flores da planta-batom florescem, normalmente, quando a primavera está para findar e, a floração perdura até o final do verão.

Aeschynanthus Pulcher_88

A planta-batom pode ser cultivada em todo o Brasil, porém nas regiões de invernos mais rigorosos, recomenda se que a espécie seja cultivada sob alguma proteção durante outono até a chegada da primavera.

A espécie tem como uma das características mais evidentes a grande ramificação das hastes, as quais chegam à mais de um metro de comprimento. Por essa última razão, é comum e de boa aceitação da planta que ela seja cultivada em vasos suspensos, assim você permite que essas hastes cresçam livremente.

Fato que destaca os muitos ramos pendentes e, também, facilita o acesso de beija-flores às flores da planta, pássaro conhecido pela preferência dessa espécie.

Propagação da planta-batom
As mudas dessa espécie pode ser feita através do corte de touceiras ou, também, por estaquia de hastes. Após o período da floração ou já no início da primavera há a possibilidade de remoção de uma haste, atente para remover aquela que esteja menos à mostra, assim você não prejudica a estética da planta.

Depois de escolhida a haste, remova as folhas da base e enterre a haste em um vaso com areia umedecida ou com perlita ou com uma mistura de casca de arroz carbonizada com composto orgânico.

aeschynanthus_2-600

Coloque o vaso com a haste recém removida em local protegido das intempéries do tempo e, cuidando sempre, para que a umidade do vaso seja mantida. Quando a haste começar a se desenvolver no vaso, significa que a haste enraizou, ou seja, você possui uma nova muda da espécie.

Tendo se certificado do enraizamento da planta, transplante a com calma para outro vaso com terra de boa qualidade. Lembre se de regar o vaso quando o ar estiver com pouca umidade.

Cultivo da espécie
A planta-batom desenvolve se bem sob meia-sombra, em local de solo com bom dreno e enriquecido com matéria orgânica. A rega da planta deve ser feita apenas quando a superfície do substrato estiver com baixa umidade ou, caso você more em uma região muito quente, ao menos a cada dois ou três dias, ou melhor dizendo, sempre que o ar ficar com pouca umidade, fique mais atento com a rega da planta.

Uma dica importante é notar se as folhas da planta-batom se desprendem com facilidade quando as tocamos, isso é um sinal de que o vaso está úmido em excesso. Outra característica notável dessa planta é que ela gosta de se manter em um local e lá ficar, em outras palavras, escolha um local e deixe a lá se desenvolvendo vistosamente.

florbatom

Dicas sobre a adubação da planta-batom
Somente adube a planta-batom quando o exemplar que possuir estiver bem desenvolvido e acostumado com o local em que estiver. Preferencialmente, faça a adubação da planta com adubo orgânico.

Uma dica é utilizar adubo bovino, o qual é rico em fósforo e ajuda numa melhor e mais rápida floração. Porém, seja qual for o adubo escolhido, coloque pequenas quantidades na terra do vaso, conforme a quantidade e frequência indicadas na embalagem do produto.

Utilização da planta como elemento decorativo de espaços externos e internos:
Pela descrição da espécie logo se nota o potencial ornamental da planta. Mesmo quando não está no período de floração, essa espécie agrega beleza ao ambiente em que está pela grande ramificação das hastes que crescem a partir da touceira.

Aeschynanthus Pulcher

A planta-batom pode decorar ambientes internos, desde que esses possuam boa luminosidade indireta e natural. Para aqueles os quais gostam das flores vermelhas que marcam a espécie, porém não possuem um local interno ideal, a dica é cultivar a planta em um ambiente externo até o início de sua floração. Contudo, vale lembrar que mudanças bruscas afetam o bom desenvolvimento da planta.

Para que a espécie não sinta tanto a mudança de ambiente, traga a para o ambiente interno, deixe a por uma semana e leve a novamente para o ambiente externo, a fim de recuperar a planta.

Ambientes com decoração rústica ou moderna combinam com a planta-batom. Obviamente os ambientes rústicos são mais fáceis de receberem plantas como elemento decorativo.

Para garantir que os ambientes mais modernos combinem com uma planta, coloque-a em um vaso com estilo mais moderno, com cachepô metálico ou de vidro, por exemplo. Outra dica é combinar as cores. Se a decoração da sua casa for de cores claras ou neutras, as flores vermelhas da planta-batom serão um charme à parte.

f.batom

Luminosidade ideal da espécie
Essa é uma planta a qual está costumada à luz forte, porém sempre indireta. Indica se pendurar o vaso próximo de uma janela ou debaixo de uma lâmpada própria para estimular o crescimento de plantas, caso você a cultive em ambiente interno ou externo e pouco iluminado.

Os extremos da luminosidade não agradam essa espécie. Ou seja, o excesso de sol ou a falta dele são duas condições as quais prejudicam o acontecimento da fase de floração da espécie.

Dicas para um solo para a planta-batom
A planta-batom prefere um solo leve e gaseificado, para os casos de cultivo em ambiente interno. Uma dica que agrada a planta é fazer uma mistura de um pouco de violeta africana com bastante perlita e acrescentar no solo. Lembrando se sempre de que o solo deve estar bem drenado.

floresta-1352

11Tillandsia bergeri

Este é na verdade um gênero da botânica que envolve diversas plantas da família das Bromeliaceae. Para a ciência esse gênero é conhecido como Tillandsia L. e envolve todo um grupo de plantas aéreas que em sua maioria coexistem em árvores absorvendo todos os seus nutrientes e também a umidade do ar.

Em todo o gênero vamos encontrar mais de 400 espécies diferentes de Tillandsias, sendo inclusive o gênero com maior número de plantas de toda a América. Em qualquer país deste continente que você chegar, encontrará uma tillandsia diferente. Elas com essa variedade, passaram a se adaptar nos mais diversos ambientes como desertos, montanhas, bosques, entre outros. Aqui no nosso país temos aproximadamente 40 espécies diferentes de Tillandsia.

Estas espécies tem origem na parte sul do continente americano e está entre as plantas mais resistentes da natureza. Elas formam grandes colônias para sobreviverem e possuem características muito parecidas com outra planta chamada craveiro.

A espécie tem ciclo de vida perene, o que significa que ela possui um período maior para fechar o tempo de brotação, fazendo com que durante o ano inteiro folhas e flores nasçam pela planta.

Tillandsia bergeri_YY

Flores
As flores da Tillandsia bergeri apresentam-se sempre na cor branca e possuem alguns detalhes em lilás que parecem pequenas manchas. Geralmente elas começam a florescer em abril e maio.  Quando apresentam um cultivo correto, elas podem crescer em altitudes superior a 100.000 m e atingirem o tamanho máximo de 15 cm de altura. As flores são muito semelhantes às flores da Íris.

Folhas
As folhas da Tillandsia bergeri possuem um formato linear e uma estrutura bem dura, o que não a faz tão delicada. A cor é sempre um verde um pouco acinzentado, podendo variar para um verde mais escuro ou até mesmo em tom vermelho. Em toda a sua estrutura vamos encontrar tricomas um pouco cinzas e algumas lâminas de forma triangular.

Bergeri3

Raízes
Certamente muitas pessoas já devem ter questionado sobre as raízes dessa planta já que elas são aéreas. Basicamente as Tillandsias bergeri possuem raízes totalmente diferenciadas de outras plantas e um sistema radicular extenso. Então as raízes dessa planta têm um formato bem parecido com um arame, sendo bem finas e muito ramificadas.

Por ser uma espécie que vive fora da terra, as raízes possui uma função diferenciada das plantas tradicionais. Nesse caso a principal e única função da raiz da Tillandsia bergeri é ficar a planta na árvore que serve de hospedeiro e a partir daí retirar os seus nutrientes.

Multiplicação
Toda planta possui um método de multiplicação que geralmente é feito com replantio ou plantio de novas espécies. No caso dessas plantas, elas multiplicam-se praticamente sozinhas desde que a planta hospedeira dê condições favoráveis para isso.

Elas crescem formando grandes colônias como exemplificamos mais acima e quando as observamos, mais parecem moitas de Tillandsia bergeri. Depois de instaladas em uma planta, a sua multiplicação acontece de forma muito rápida que a planta pode até ser considerava invasiva. Os brotos mais novos são formados a partir do tronco da árvore hospedeira e vão se espalhando por toda sua estrutura.

Tillandsia bergeri

Cultivo
Apesar de não ser aquele tipo de planta exemplar, elas são cultivadas para finalidades de pesquisas, experimentos e até mesmo para replantio em outras zonas.

Este cultivo é considerado um dos mais fáceis porque a Tillandsia bergeri não exige muitos cuidados e se multiplicam com muita facilidade. Elas preferem ambientes mais claros, uma quantidade de rega mais intensa e a adubação devem ser sempre intensificadas.

Quanto às regas, elas devem ser feitas sempre com cuidado porque apesar de gostar de muita água, a Tillandsia bergeri não gosta de ambientes muito molhados. A regra é bem simples, você precisa regar mais vezes com menos quantidade de água. O acúmulo de umidade vai apodrecer a raiz da planta. Em contrapartida, a falta de rega vai deixar a sua planta desidratada e ela provavelmente morrerá rapidamente.

Tillandsia-Bergeri-5

Para saber se a planta está ou não ressecada basta você observar as folhas da Tillandsia bergeri. Se as bordas estiverem com uma aparência de seca, já estão no limite de sua hidratação e as regas devem ser intensificadas. Sempre mais vezes com menos quantidade de água, como citamos mais acima.

A média de regas por semana é de três vezes, mas se sentir que a planta necessita de mais, regue-as sem nenhum problema. Para aquelas pessoas que admiram espécies mais exóticas e desejam cultivar a Tillandsia bergeri em casa, apesar de incomum isso pode ser feito com muita tranquilidade.

É necessário que a planta esteja em um local com bastante ventilação porque a Tillandsia bergeri não resiste à ambientes mais quentes e secos. Nesse ambiente também não pode ter o acesso muito forte dos raios do sol para não prejudicar o desenvolvimento da planta.

tillandsia-691

Como toda planta, a Tillandsia bergeri vai precisar de fertilização periodicamente. Nesse caso deve-se utilizar o mesmo fertilizante de Orquídeas. Eles são solúveis em água e devem sempre serem misturados na proporção de 1 parte de fertilizante para 3 partes de água, medidos sempre  pela dosagem  que vem indicando no pacote do fertilizante. O recomendável é aplicar essa mistura uma vez a cada mês.

56890