Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Ceropegia albisepta 1

A origem do corações-emaranhados é do continente africano, mais precisamente da África do Sul, Suazilândia e Zimbábue. É uma planta da família Asclepiadaceae.

Essa espécie está categorizada como uma bulbosa, além de planta trepadeira e tem ciclo de vida perene, o que significa que os ciclos de brotação demoram mais tempo para acontecer, o que pode levar até 2 anos e sendo assim, você terá sempre folhas e flores nascendo durante o ano inteiro.

A planta pode chegar até 4 m de altura quando bem cultivadas e o seu tamanho mínimo é de 2 m, então para ter essa espécie de planta em seu jardim, é recomendado que você tenha um bom espaço para plantar essa espécie.

Como é uma trepadeira, esse espaço deve ser não apenas na lateral. mas também na altura para que a sua planta não fique comprimida e perca a sua beleza natural .

Talvez as folhas sejam o maior atrativo dessa planta, sendo o motivo inclusive de receber esse nome de corações-emaranhados. As folhas dessa espécie têm o formato de corações, são bem suculentas, colocadas opostas e com uma cor sempre verde musgo com alguns detalhes marmorizados em prata na parte superior e na cor roxa na parte inferior.

Ceropegia woodii 2_jpg

A floração da planta corações-emaranhados acontece basicamente nos meses mais quentes do ano e as suas flores têm a forma de um vaso pequeno com a cor um pouco rosada na corola e as pétalas em roxo mais puxado para a cor púrpura.

Os frutos da planta são pequenas vagens e têm sementes bem achatadas que quando ficam maduras caem com muita facilidade e ajudam na multiplicação da planta.

Os corações-emaranhados são plantas bem decorativas não apenas pelo seu formato mais especial, mas pela facilidade de cultivo. Elas podem ser usadas para decoração tanto de ambientes internos como externos e quando são cultivadas em grupos maiores contendo mais de cinco mudas, ainda dão um efeito mais especial.

Deve-se atentar-se apenas sobre manter a planta em local onde receba sol muito quente durante o dia todo, principalmente sob o sol de meio dia. O ideal é que a planta seja protegida durante esse horário para a planta não secar e morrer. Se você deixar a corações-emaranhados ao ar livre, a planta vai atrair muitos beija-flores.

coraçõesemaranhados

Cultivo
O cultivo da corações-emaranhados é bem simples. Deve-se manter a planta sob a meia sombra ou sobre a sombra completa e como foi citado mais acima, evitar que a planta fique exposta ao sol quente para não morrer.

O substrato deve ser sempre leve, com boa capacidade de drenagem, enriquecido com matéria orgânica e as regas devem ser feitas com intervalos irregulares para não encharcar demais a sua planta.

Evite deixar o solo ou até mesmo a sua planta muito úmida porque ela não vai resistir locais muito encharcados. A corações-emaranhados consegue passar por um pequeno período de estiagem de chuvas e de seca, mas evite deixá-la muito tempo sem água. Durante o inverno é indicado que seja reduzido as regas porque nesse período a planta entra em um estado de dormência e vai acumular água em sua estrutura. O intervalo entre as regas deve ser de no máximo 1 semana. A multiplicação é feita por estaquias e também por sementes.

Não existe a necessidade de podar a planta, mas se houver o desejo de limitar mais o comprimento dos ramos da planta, isso pode ser feito sem nenhum problema.

A mistura da terra para plantar a corações-emaranhados é bem fácil de se fazer bastando apenas que você misture 1  parte de terra comum de jardim, com 1 parte de areia grossa de construção, com 1 parte de composto orgânico e 1 parte de terra vegetal.

A fertilização também é bem simples, bastando aplicar a mistura todos os meses, mas somente durante a primavera e o verão. A mistura pode ser feita com fertilizante do tipo NPK com formulação de 04-14-08. Deve-se colocar 1 colher de sopa para os vasos pequenos e 3 colheres para os vasos grandes. Evite colocar essa mistura junto ao caule da sua planta.

corações

Pragas e doenças
Como todas as plantas, a corações-emaranhados também não está livre de doenças e pragas. Nem sempre esses problemas são ocasionados por falta de cuidados e muitas vezes, é exatamente o contrário.

Uma das pragas mais comuns desse tipo de planta são as formigas cortadeiras que estragam as folhas e os brotos. Para eliminar essa espécie de formiga pode-se usar iscas formicidas que geram um resultado rápido e bem eficiente.

Os pulgões também aparecem com muita facilidade, sugando a seiva da sua planta e deixando as partes atacadas danificadas ou até mesmo mortas. Eles atacam principalmente os brotos que estão nascendo e as folhas. O melhor remédio para esse caso é a calda feita com fumo e aplicada diretamente na planta.

janela 2945

Alstroemeria hybrida1

Na verdade, astromélia é apenas um dos vários nomes populares pelos quais a planta é conhecida. Ela é conhecida também por: alstroeméria, madressilva-de-canteiro, madressilva-brasileira e lírio-dos-incas.

A astromélia  é uma planta originária da América do Sul. Ela é encontrada,  no Brasil, no Chile e no Peru. Os tipos de climas predominantes nesses países, continental, equatorial, subtropical,  mediterrâneo, temperado e tropical, são propícios para o seu desenvolvimento. Ela é uma planta de longa duração e seu cultivo é muito fácil.

Plantio
Não existe uma época  determinada para o seu plantio. Em clima quente ela poderá ser plantada em qualquer mês do ano. Se o clima for temperado  ou frio, evitar  fazer o plantio no inverno. A floração ocorre no verão e na primavera.

Na hora de plantar, escolha um local  ensolarado, mas que tenha um pouco  de sombra durante a tarde. A terra deve ser de boa qualidade, precisa estar bem ( fofa e, o solo deve estar bem adubado. Isso pode ser conseguido com composto orgânico ou adubo animal. Depois de preparar o solo, chegou a hora do plantio.

Alstroemeria hybrida

Esse pode ser feito através de sementes ou de mudas. No caso do plantio feito através de uma muda,  observe o tamanho do torrão com a muda, que você tem. Abra um buraco do mesmo tamanho, coloque  a muda com cuidado, para não danificar a raiz.

Chegue a terra, com as mãos, próximas da muda e aperte de leve, só o suficiente para fixar a muda no solo, molhe um pouco a terra, mas sem encharcá-la.

Pela facilidade com que as astromélias plantadas no solo aumentam (rápida dispersão), elas são consideradas plantas invasoras. Verdadeiras pragas,  pois elas podem acabar por prejudicar o desenvolvimento de outras plantas que estejam  plantadas  próximas a elas.

Plantando as astromélias em vaso
Elas podem ser plantadas também em vasos. Se quiser cultivar essa beleza de planta em casa,  plantada em um vaso, saiba que é bem simples. Escolha os vasos de cerâmica de boca larga e que tenha até 0,40 cm de altura. Escolha as sementes, (boa qualidade), terra adubada e proceda da mesma maneira como se faz ao plantar no solo.

Coloque o vaso em um local com luminosidade e não se esqueça de manter a terra úmida ( em encharcar) até que a semente brote. Depois, continue molhando a planta sem exageros. A astromélia não precisa de muita água, mas precisa de adubações regulares.

Alstroemeria hybrida1

Algumas características das astromélias
As astromélias estão entre as plantas  perenes. Ou seja, plantas que vivem muito. Em geral  mais de 2 anos. Esse tipo de planta é ideal para  jardins. Por causa de sua longevidade e de sua  beleza, também tem sido muito usadas por paisagistas.

As flores e plantas perenes chegam a viver por mais de 2 ciclos sazonais. Possuem raízes carnosas e fibrosas, às vezes tuberosas  como nas dálias.

Seus caules são eretos, flexíveis e finos. A altura em geral é de 20 a 25 cm. As flores apresentam  seis pétalas iguais e duas pétalas diferentes. As flores  da astromélia  são muito semelhantes às flores dos lírios, algumas vezes são  chamadas de  miniaturas de lírios.

Como são plantas de clima quente, elas não resistem  à geada. Porém, conseguem suportar o frio por pequenos espaços de tempo

astrom.

As astromélias fazem ressupinação, isto é, elas são torcidas na base. Em botânica, comportamento como esse,  dessa belíssima flor, é bastante raro. Por ser torcida na base, o que parece ser a parte superior da folha é na verdade a parte inferior, por isso às vezes parece que estamos olhando  a flor de cabeça para baixo.

Algumas variedades de astromélia, que têm raízes suculentas são usadas na fabricação de farinhas  que posteriormente  são usadas na fabricação de pães, bolos, etc.

Porém, é necessário que se conheça bem o tipo de astromélia para utilizar com segurança, visto que algumas podem liberar toxinas,  que são prejudiciais à saúde.

A astromélia na ornamentação
Na ornamentação, essa planta de flores de cores alegres vem ganhando espaço pela  beleza e pela sua durabilidade após o corte. Ela está sendo muito usada em decorações de ambientes, de diferentes estilos.

Dos mais simples aos mais sofisticados. A escolha  pela flor da astromélia também  tem sido para a  confecção  de arranjos na decoração de igrejas  em cerimônias de  casamentos, em buquês de noivas e em arranjos para presentes.

Alstroemeria hybrida1

Onde encontrar?
As astromélias podem ser encontradas em floriculturas, em feiras especializadas em flores, em outras casas do ramo. Elas têm uma infinidade de cores.

Com isso, podem-se criar arranjos  belíssimos sem se preocupar em acrescentar outros tipos de flores.  São muitas as variedades e o preço é bem pequeno.

Dia-de-Chuva

anêmonadojapão

A anêmona-do-japão se caracteriza por apresentar um visual muito gracioso e sofisticado ou até mesmo chique. Essa espécie vegetal é originária das montanhas do continente asiático, sendo nativa de países como China e Japão, devido a isso, se tem a origem do seu nome popular. A espécie pertence à família Ranunculaceae.

Características da anêmona-do-japão
A espécie vegetal é herbácea e rizomatosa e pode ser cultivada pelas pessoas que desejam dar vida e cor ao seu jardim. A planta apresenta ciclo de vida perene, isto é, elas são espécies vegetais que possuem um longo tempo de vida, que no reino vegetal significa que é maior que dois anos.

É considerada uma planta de grande porte, podendo apresentar uma altura de 1,20 m. As folhas são de tamanho grande, apresentam as bordas serrilhadas e são ásperas.

As flores apresentam sustentação em pedúnculos florais, de tamanho grande e podem ser simples, dobradas e semi dobradas. A geralmente acontece no verão, e podemos encontras essas belíssimas flores nas cores: branca, carmin e rosa.

Essa espécie vegetal é típica de regiões que apresentam o clima tropical, no entanto a anêmona-do-japão consegue se adaptar com facilidade e conseguimos encontrar espécies sendo cultivadas em locais que apresentam clima: continental, subtropical, mediterrâneo, tropical de altitude (montanhas) e oceânico. Igualmente as outras espécies do mesmo gênero (demais Anêmonas).

anemona

As anêmonas-do-japão devem ser cultivadas sob sol pleno, principalmente quando cultivadas sob as temperaturas mais amenas e frias, e a meia sombra, quando a espécie vegetal for cultivada em regiões que apresentam climas mais quentes (clima subtropical).

Ressaltando que a planta não tolera ser cultivada em regiões que apresentam temperaturas mais elevadas. O solo ideal para o cultivo é leve, fértil e que para manter as boas condições de fertilidade, pode passar por processo de aplicação de material orgânico.

As irrigações devem ser realizadas de forma regular, com o intuito de manter o solo úmido e fresco. É preciso ter o cuidado para não encharcar o solo, pois pode ocasionar o sufocamento das raízes, o que pode levar a planta à morte.

As anêmonas-do-japão são bastante utilizadas por paisagistas, pois além de exalarem grande beleza, elas conseguem se adaptar e adequar ao cultivo em vários tipos e estilos de jardins.

anêmona

Essa espécie vegetal pode ser cultivada de forma isolada ou em grupos, podendo formar e forrar canteiros, bordas, muros e formar maciços de plantas, o que causa um belo efeito.

No Brasil, encontramos a anêmona-do-japão nas regiões sul e sudeste, principalmente nas regiões serranas (Blumenau, Gramado, etc.) e em estados como São Paulo, Rio de Janeiro (Petrópolis) e Minas Gerais (Monte Verde).

Multiplicação
A anêmona-do-japão é uma espécie vegetal que se propaga através da divisão de sua touceira. O processo de reprodução através da divisão das touceiras consiste em fazer cortes nos rizomas (espécie de caule subterrâneo) da planta, para que sejam formadas mudas, para serem plantadas e cultivadas em outros locais, para promover o surgimento de novas espécies vegetais da planta.

anemonahupehensis

É necessário cuidado no momento de realizar os cortes nos rizomas, pois é necessário que esses tenham raízes, ramos e folhas para que as mudas formadas consigam germinar e se desenvolver uma planta nova.

folhassobre o rio