Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




SOPHRONITIS COCCINEA1

A Sophronitis coccinea é uma das principais responsáveis por conferir a cor vermelha às orquídeas híbridas que conhecemos hoje. Outra característica marcante é o tamanho avantajado das flores, quando comparadas à parte vegetativa da planta.

Embora não pareça, esta mini-orquídea é tão diminuta que poderia ser plantada em um copinho de café.

Orquídea típica dos ambientes úmidos da Mata Atlântica é considerada de difícil cultivo.  Esta orquídea vegeta em matas hidrófilas numa altura entre 600 a 800 m na Serra do Mar, nos Estados de São Paulo e do sul do Brasil, e numa altitude maior nos Estados do Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Gosta de locais cujos troncos e galhos das árvores são repletos de musgos epífitas e permanecem sempre úmidos.

Vegeta e floresce melhor em galhos de árvores de porte pequeno ou arbusto mais abertos e com muita luminosidade.

Floresce geralmente em duas épocas do ano, no fim de abril e de julho a setembro, mas muitas vezes a planta que floresceu em abril, volta a florir em setembro.

variegado

Orquídea Sophronitis cernua mineira var. abóbora

Espécie pequena que vegeta numa altitude entre 700 e 1000 m. Vive em árvores, rochas, ou serras, protegidas do vento, com duas estações definidas: um seca e outra chuvosa, aprecia ambiente quente e úmido..

Vegeta também sobre pedras de granito, em pleno sol, ou em velhas árvores nas matas ribeirinhas. É uma orquídea originária do Brasil com ocorrência nos estados de Minas Gerais, São Paulo e Espírito Santo.

Gosta de lugares bem iluminados, podendo ser cultivada em pleno sol, desde que mantida boa umidade.

É uma planta pequena, rasteira, com pseudobulbos achatados de 5 centímetros de comprimento, encimados por uma folha coreácea de 3 cm, verde escura ou verde amarelado, dependendo da luminosidade. O substrato para ela são toquinhos de madeira.

As regas devem ser diárias, daí a importância do substrato ideal, uma vez que não tolera ficar encharcada.

Como gosta de ambientes úmidos, pode ser atacada por insetos sugadores como cochonilhas e ácaros. O controle pode ser feito manualmente ou usando inseticidas comuns. Pode ser atacada por fungos, que podem ser combatidos usando-se fungicidas específicos. Uma boa dica é usar sulfato de cobre junto com a adubação.

A adubação pode ser feita com NPK 20-20-20 ou próximo a isso, quinzenalmente. Evite adubar no período de dormência, que ocorre logo após a floração.

A florescência ocorre entre abril e maio. As flores surgem no ápice dos pseudobulbos, em número de uma cinco flores, de cerca de 2 cm de diâmetro, vermelho-intenso. Sua variedade alba é, na verdade, amarelo-limão, rara.

Felizmente está bela orquídea está sem risco de extinção.

sininho33

Ciclâme

Cyclamen persicum rosa

De nome científico Cyclamen persicum o nome popular no Brasil varia entre ciclâme, ciclâme da Pérsia, ciclâme de Alepo ou ciclâmen. Isso se explica pela espécie ter vindo das Ilhas Gregas e a região do Mar mediterrâneo.

O ciclâmen é uma planta florífera muito cultivada em vasos graças a seu pequeno porte, menos de meio metro de estatura, folhas verde escuro e flores coloridas muito vistosas que contrastam com a cor de suas folhas causando um ótimo efeito no ambiente.

A planta é pequena, não ultrapassa 20 cm, e costuma ser cultivada em vasos de interiores. Costuma florescer em hastes, em tons de rosa e vermelho, exalando um perfume leve, mais no final do inverno e início da primavera, podendo ficar floridas o ano todo dependendo da forma de cultivo, porém tendem a morrer se passarem muito tempo a florescer graças ao enorme desgaste que isso causa a planta.

A planta é de clima ameno, de meia sombra, mas precisa de sol direto durante quatro horas por dia. Geralmente é plantada em vaso, embora possa ser cultivada em área externa desde que devidamente protegida do sol a pino. Devemos sempre mantê-la em local que receba uma boa quantidade de iluminação indireta, ou então que receba luz direta de manhã ou a tarde.

É uma planta perene, mas tem sido cultivada como anual. Assim, muitas pessoas, quando a vêem murchar, acreditam que ela está morta, mas seu bulbo irá florir dentro de um ano novamente, se hidratado como indicado.

Utilize solo fértil, geralmente o que a planta vier plantada da floricultura já terá a composição ideal, porém se necessitar plantá-la em outro lugar, não esqueça de adicionar um pouco de adubo orgânico e NPK rico em fósforo no começo da floração.

Para seus cuidados é ideal é que reguemos essa planta em dias alternados, não podemos deixar o solo secar, porém o excesso de água também pode matar essa planta, que alias é bem sensível a doenças. Graças a isso esteja sempre atento em remover ramos mortos que podem ser um prato cheio para a proliferação de bactérias e fungos.

Após o termino da floração lembre-se de reduzir a água e não adicionar mais fósforo durante alguns meses para que a planta descanse por um tempo, você pode tentar manter a floração dessa planta por mais tempo que o natural através da rega e adubação, porém ela provavelmente morrerá em pouco tempo. Após o tempo de dormência, logo antes do inicio de uma nova época de frio, volte a adicionar um pouco de adubo orgânico e NPK ao solo.

4mb8a69

cassia-javanica

A Cassia Javanesa  é uma árvore da família das fabáceas. Ela tem um crescimento muito rápido e ela pode chegar a medir 10 m de altura e também ter 8 m de largura.

Suas flores rosas aparecem sempre em dezembro e até o final de fevereiro. E geralmente são de cor rósea. Além disso, as folhas são bem pequenas. Essa planta é originária da Ásia, na Malásia mais especificamente.

Graças a sua grande velocidade de crescimento e hábitos tropicais, essa planta se desenvolve bem ao sol, com solo rico em fertilizante orgânico e sempre regado. Pode-se adicionar mais fertilizante NPK com grande quantidade de fósforo logo antes do verão para estimular uma floração mais intensa.

janel50

astromelias
As Astromélias são de origem peruana, chilena e brasileira, apesar de ter um nome não muito atrativo, possuem flores de grande beleza.

Para quem não entende muito sobre a planta, é importante estar atento aos cuidados, pois essa planta não é muito tolerante em estações mais frias ou a seca. Elas são mais bem adaptadas para desenvolver em ambientes com solos mais úmido e fértil, é importante cultivar com adubos orgânicos regularmente.

As flores gostam de bastante sol, mas para evitar que as pétalas queimem é importante que sejam mantidas a meia sombra. Quando essas plantas são cultivadas em solo propício, muitas vezes ela é considerada como planta praga, pois cresce e se desenvolve muito rápido e ela se alastra com muita facilidade, podendo até prejudicar outras espécies de flores que estiverem próximas.

São plantas floríferas, rizomatosas e herbáceas, muito difundidas como flor-de-corte. Ela apresenta raízes carnosas e fibrosas, as vezes até tuberosas, como são as raízes das dálias. Seus caules são eretos, e ramificados na base, em geral alcançam de 20 a 25 cm de altura.

As folhas surgem no topo dos ramos, tendo um comportamento muito raro conhecido pela botânica, que é a ressupinação que essa planta faz como elas são torcidas na parte de baixo da base, o que fica pra cima como se fosse a parte superior da folha, na verdade é a parte de baixo.

Podem ser cultivadas em maciços e bordaduras, mas são mais conhecidas como flor-de-corte. Existem algumas variedades de Astromélia que possuem raízes comestíveis, podendo ser usadas na produção de farinhas.

Deve ser cultivada a pleno sol ou meia-sombra, em solo fértil e ligeiramente ácido e drenável, que esteja enriquecido com matéria orgânica e deve ser irrigado regularmente. Gosta de adubações frequentes, oferecendo assim florações intensas. Não toleram geadas, mas podem tolerar o frio e curtos períodos de estiagem.

Há diversas variedades de plantas para cada tipo de clima, com comportamentos anuais ou perenes, sendo mais ou menos rústicas também. Algumas subespécies necessitam de refrigeração dos rizomas no período de descanso. Sua multiplicação é feita por sementes e por divisão de planta.

Para quem não conhece muito bem, é importante ficar atento, pois as astromélias exigem alguns cuidados especiais com relação a clima, temperatura, luminosidade, e fertilização. Quando são respeitadas as condições ideais, crescem e se desenvolvem com muita facilidade, porém é preciso ter cuidado para que quando plantada em jardim junto a outras espécies, podem prejudicar o crescimento dessas mesmas.

Embora se pareçam muito com os lírios, são plantas de famílias diferentes, possuem essa aparência semelhante, mas têm um tamanho menor que os lírios verdadeiros que conhecemos. Essa semelhança só serve para comparar a beleza das Astromélias com a beleza dos lírios, são flores de grande potencial ornamental e estão presentes em diversas exposições pelo mundo todo, onde podem ser compradas, e ainda você aprende muito sobre formas de plantio, cultivo e forma de fazer mudas da maioria das plantas que encontra.

Vasinho de Flores

Cymbidium_insigne
Em geral, as medidas preventivas contra as pragas e doenças em orquídeas, são sempre mais baratas do que as curativas. Para quem tem um pequeno orquidário as  primeiras providências são:

- Manter telados e estufas completamente limpos, tanto em relação ao meio ambiente, quanto às plantas;

- Evite ter nesses locais outras plantas ornamentais de pequeno ou médio porte, árvores ou arbustos. Eles são hospedeiros e futuros vetores para a transmissão de doenças e pragas;

- Também é aconselhável a limpeza em volta dos telados. Orifícios, desníveis no solo, acúmulo de lixo, buracos na parede, pilhas de vasos velhos, todas essas coisas servem de abrigo para insetos e como depósitos de esporos de fungos;

- Para limpar pode-se usar: rastelos, que retiram o resto da matéria orgânica em geral, e as vassouras, que completa o trabalho (que deverá ser semanal ou, na medida do bom-senso, toda vez que for necessário);

- As bancadas devem ser limpas com escovas, água e sabão, fazendo-se inicialmente uma lavagem geral. A seguir, pinte-as (usando um pincel comum), com pasta fungicida de sua preferência. Se quiser, anote esta receita: 1 quilo de fungicida, 1 quilo de cal virgem queimado, meio quilo de inseticida em pó molhável a 50% para 10 litros de água. Outro bem produto é o hipoclorito de cálcio, numa solução aquosa a 10%. Outros produtos à base de cloro, encontrados facilmente no mercado, podem ser utilizados para a desinfecção das bancadas;

Tomados esses cuidados iniciais com relação à prevenção contra fungos e insetos. Devemos dar atenção às plantas, pulverize-as, menos no inverno, num intervalo de 60 a 90 dias com inseticidas e fungicidas. Muito cuidado com esses produtos.

Pragas nas Orquídeas
Percevejo das orquídeas (Thentecoris bicolor Scott)
Considerado o “inimigo n° 1” das orquídeas, tal o estrago que causa às plantas. Além da anemia causada pela sucção da seiva, suas picadas podem transmitir vírus. Ele ataca principalmente folhas mais novas das Cattleyas, Epidendruns, Laelias e Sophronitis, quando aparecem pequenas manchas arredondadas, de cor amarela, que contrasta com a cor verde das partes não tingidas. Eles andam em bandos, atacando à noite. Durante o dia, podemos notá-los quando, a qualquer movimento, fogem para a parte inferior das plantas.
Combate: com um bom inseticida podemos erradicá-los com sucesso.

Pulgões – Insetos ápteros e alados
Os pulgões são pequenos insetos alados, que têm extraordinária capacidade de reprodução e sugam a seiva das plantas.
Podem ser de colorido verde, amarelo, pardo ou negro. Sua infestação pode proporcionar danos e deformações nos brotos e folhas. Geralmente são levados para as plantas pelas formigas.
Combate: Inseticidas líquidos ou em pó combate-os com eficácia.

Cochonilhas – Colônia de pequenos insetos de cor branca ou parda
Entre as cochonilhas são assinaladas dezenas de espécie – todas sugadoras que causam enormes estragos às plantas.
Combate: Pequenos ataques podem ser erradicados com a larva da planta, principalmente na parte atacada, com água corrente e sabão neutro, usando-se uma escova dental macia. Quando o ataque for maior, devemos usar inseticida misturado a óleo miscível.

Vespinha Negra (Eurytoma orchidearum (West.)
Ataca os brotos e pseudobulbos novos, provocando deformações nas bases e morte das partes atacadas. Esses brotos apresentam deformações (inchaços), no interior dos quais evoluem as larvas da Vespinha Negra.
Combate: Inseticida sistêmico que penetra na seiva da planta. Podemos também combatê-las colocando uma bacia com água e óleo no meio das plantas atacadas e ascendendo uma lâmpada sobre essa bacia. Durante a noite as vespinhas voam e caem dentro da água.

Lesmas e Caracóis
Nossas orquídeas e plantas são atacadas por esses moluscos, principalmente nos botões florais e na ponta das raízes, causando-lhes enormes prejuízos.
Combate: Usar mata-lesmas sempre em ambiente secos. Usando-se iscas noturnas de fatias de mandioca ou chuchu, folhas de alface, farelinho misturado com arseniato.

jerfi

crista-de-galo

Esta planta florífera que também é conhecida como Celósia cristata é uma herbácea nativa da região tropical da América que tem por principal característica apresentar flores volumosas e retorcidas de cores fortes, como o vermelho, roxo e amarelo.

Devido a esta aparência peculiar de suas flores, a crista de galo é bastante utilizada no paisagismo, dando uma aparência diferenciada nos jardins e jardineiras.

Onde e Como Plantar
Esta é uma planta de grande resistência ao sol, não apresentando problemas quanto a queimaduras em suas folhas e flores, assim sendo, aconselha-se o plantio em local bem ensolarado, para que a planta faça muita fotossíntese e cresça forte.

Desaconselha-se o plantio desta planta em locais muito frios, uma vez que o frio atrapalha sua floração, porem ela dificilmente morre durante os invernos, voltando a florescer no verão.

Quanto ao solo, prepare-o de forma a ficar rico em nutrientes, adicionando bastante adubo orgânico antes do plantio.

Para realizar o plantio geralmente utiliza-se mudas compradas prontas ou saquinhos de sementes enterradas a poucos centímetros de profundidade. Após você já ter algumas destas plantas, obter novas sementes é bem fácil, uma vez que ela produz várias centenas após cada floração.

Lembre-se de irrigar sua planta de forma periódica para manter sempre o solo umedecido, porém sem exageros, uma vez que o excesso d’água pode favorecer a proliferação de doenças nas plantas.

Reforce a adubação sempre antes das primaveras e realize podas de limpeza sempre que a planta encontrar-se coberta por flores ou ramos mortos.

janel40

hortinha em tubos de pvc

Ter uma horta não é privilégio apenas de quem mora em casas com grandes terrenos. É completamente possível cultivar condimentos e ervas em apartamentos ou em espaços pequenos, desde que o local seja bem iluminado, apresente boas condições de irrigação e tenha solo de boa qualidade.

Algumas espécies se adaptam melhor em canteiro, são elas: alecrim, manjericão, estragão, camomila, capuchinha, cebolinha, erva cidreira, hortelã, orégano, pimenta-dedo-de-moça, salsinha e sálvia.

Veja como é fácil montar um canteiro e a cultivar algumas espécies:
- Você vai precisar de um vaso grande ou uma jardineira (pode ser de plástico ou de barro), terra, húmus de minhoca, mudas de ervas de boa procedência.

- Encha um terço do vaso com brita ou pó de brita, para drenagem.

- Coloque uma mistura de duas partes de terra, uma parte de composto orgânico e uma parte de húmus até a borda do vaso. Por fim, espalhe um pouco de areia.

- Enterre o torrão da muda e complete com a terra até cobri-lo.

- Afofe com as mãos em volta do torrão e complete com um pouco mais de terra até a borda.

Fique atento a algumas dicas de cuidados:
- As ervas precisam de luz solar, pelo menos algumas horas por dia. Sem isso, é praticamente impossível cultivá-las.

- Mantenha regas regulares, mas nunca encharque a terra.

- Retire folhas velhas, amareladas e secas e verifique periodicamente se não há ataques de pragas. Nesses casos, evite produtos químicos e use apenas inseticidas naturais (calda de fumo, calda de sabão, etc.), pois as ervas serão utilizadas como tempero e no preparo de chás.

- Adube a cada 3 meses, com húmus de minhoca e torta de mamona.

- Na hora de escolher as ervas, procure selecioná-las segundo as exigências de luminosidade. Lembre-se que elas estarão no mesmo vaso.

Saiba mais sobre algumas espécies:
Alecrim (
Rosmarinus officinalis) – é uma planta semi-arbustiva, delicada e que ainda deixa o ambiente com um perfume muito especial. Na cozinha, é usado para temperar carnes em geral, legumes e até dar um sabor diferente a omeletes. Cresce bem em ambientes muito ensolarados. Por isso, você pode plantar sua mudinha em vasinhos com 20 cm de diâmetro, usando terra comum de jardim. Para obter novas mudas, é só lascar um galho e plantar em solo úmido.

Cebolinha verde (Allium schoenoprasum) – é uma planta bulbosa do mesmo gênero do alho e da cebola. Suas folhas formam um tubinho oco e têm um aroma suave de cebola, bastante apreciado em inúmeras receitas. Pode ser semeada em pequenos vasos de barro, mas se você quiser ter esse tempero mais rapidamente, uma solução prática é aproveitar as mudinhas que são vendidas na feira. Para isso, quando comprar cebolinha, corte as folhas para uso e plante os toquinhos, com um pouco da raiz. Em pouco tempo, as mudas vão soltar brotos vigorosos e perfumados. Ao plantar, não esqueça que a cebolinha gosta de solo fértil, rico em matéria orgânica.

Salsa (Petroselinum sativum) - originária da Europa, a salsa ou salsinha é uma plantinha simpática, com folhas bipartidas ou crespas, mas sempre muito aromática. É bastante popular no Brasil e entra na composição de inúmeras receitas salgadas, como carnes, sopas, bolos e saladas. Seu cultivo é muito simples: basta semear num pequeno vaso e deixar junto a uma janela iluminada. Em pouco tempo, você terá uma linda plantinha e ramos fresquinhos para dar um sabor todo especial às suas receitas.

ar

10m de comprimento por 5 de largura

Inicialmente, devemos preparar o orquidário para a primavera visando torna-lo limpo, prático e dando às plantas condições de se desenvolverem perfeitamente (luz, água, adubo, sem doenças, aeração e disposição de vasos).

Um bom começo é partir logo para uma boa limpeza do ambiente, com a retirada de entulhos, pedaços de xaxim, madeira ou vasos espalhados, limpeza e desinfecção das bancadas (solução com água sanitária) e por baixo delas, remoção de mato e ervas do chão, reparo das bancadas, muretas e paredes que cercam o orquidário, reparo no sombrite ou ripado, bem como retificar o sistema de irrigação e adubação, alem de observar e, se preciso, melhorar a incidência de luz e aeração no orquidário. Devemos aproveitar também para fazer outros trabalhos manuais como o preparo de estacas, tutores, cachepôs, dependuradores.

Recomendações à respeito das plantas
A primeira coisa a se fazer é a diminuição das regas e da fertilização e em seguida limpar os vasos, retirando ervas, matos, folhas e bulbos secos. É esse o período melhor para controlar ou mesmo erradicar as pragas e doenças, com a aplicação correta dos “pesticidas” adequados e cada vaso (usando sempre material de segurança:luvas, máscara, óculos, chapéu, roupas de mangas compridas, etc.), principalmente contra lesmas, caramujos e tatuzinhos, sendo também recomendado uma aplicação de fungicida como preventivo.

Nesta época do ano, muitas espécies de plantas iniciam a produção de hastes e botões para florir na primavera, sendo então boa a oportunidade para se colocar os tutores e/ou estacas diminuindo assim os riscos das hastes envergarem com o peso das flores ou mesmo produzirem flores tortas, feias e incorretas. É muito importante observar as plantas secas e doentes que, nas maioria das vezes devem ser eliminadas para que não transmitam doenças para as demais e nem ocupem os espaços de plantas saudáveis e com floração certa se aproximando.

orch

rododendro

O gênero Rododendron tem mais de 1000 espécies de plantas com flores, que também inclui azaléias. Estas plantas têm raízes fibrosas e crescem bem em solos ácidos tendo níveis de pH 4,5 a 5,5. São amplamente distribuídas no Hemisfério Norte e em partes do Hemisfério Sul, incluindo o Sudeste da Ásia e Austrália do norte. Estas plantas são caracterizadas por arbustos e árvores de pequeno porte. As flores são em cachos nas cores vermelho, rosa, branco, amarelo e lilás.

A poda é um procedimento comum para remover galhos quebrados e doentes; melhorar a forma da planta, cortando galhos indesejados  e aumentar a penetração de luz e circulação de ar diluindo os ramos. No entanto, algumas precauções devem ser seguidas durante a poda de uma planta rododendron.

A época mais favorável para podar a planta é durante a primavera, após o período de floração. É aconselhável não podar a rhododendron no final do verão ou outono, porque pode fazer com que a planta fique suscetível a lesões inverno.

Como podar Rhododendrons?
Você vai precisar de uma tesoura afiada ou tesouras de poda e luvas para podar uma planta rododendros. Desinfetar as tesouras de poda com álcool é necessário. Conhecer as espécies de rododendron vai ajudá-lo a decidir o tipo de poda que requer. A planta devem ser podadas são podadas por três razões principais.

Poda de Valorização Forma
Para acentuar a sua aparência. Se isso for feito na base da planta, incentiva o crescimento de uma vegetação densa. Se você está pensando em dar forma a um rododendron, é o melhor que seja feito no final do inverno, antes da época de floração. A poda também ajuda a controlar a altura e a largura da planta.

Poda de Manutenção
Poda de manutenção é muito fácil e deve ser feito a cada ano, a fim de remover os galhos mortos ou doentes. Uma poda leve não afeta o florescimento da planta, se feito de forma cuidadosa. Você pode remover um ramo doente com uma tesoura de poda, logo abaixo da parte afetada, corte também os cachos flores velhas da planta, a fim de incentivar o crescimento novo. No entanto, não deve tirar os cachos com os dedos, pois pode afetar os novos brotos. Gerais rododendron e azaléias folhas se beneficiar muito com a poda de manutenção.

Poda de rejuvenescimento
A melhor época para fazer a poda de rejuvenescimento é nos meses de inverno, quando a planta está em fase de dormência. Corte os galhos grandes, com isso você pode restaurar uma planta que se tornou pouco atraente. Isto levará a um crescimento vigoroso na próxima temporada.

Essas podas irão ajudar a manter uma forma atrativa e compacta. Também protege a planta a partir de várias doenças. Uma poda adequada fará o rhododendron o arbusto mais atraente em seu jardim.

janela 2945