Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Trevo-de-quatro folha - Oxalis tetraphylla

Um trevo de quatro folhas é uma folha de trevo que apresenta quatro em vez dos normais três folíolos comuns na maioria das espécies do gênero Trifolium a que pertencem os trevos. Com origem nas antigas tradições dos povos celta, acredita-se que encontrar um trevo-de-quatro-folhas é um sinal de boa sorte, pelo que o trevo-de-quatro-folhas é usado em iconografia diversa e como imagem na linguagem corrente. A procura de trevos-de-quatros-folhas levou ao surgimento de cultivares e de técnicas de cultivo que aumentam a probabilidade dessa anomalia surgir.

Existem trevos de quatro folhas que podem ser cultivados, porém, eles têm necessidade de uma temperatura média de aproximadamente 25 Cº.

Precisam de chuva constante, ou, se forem criados dentro de casa, precisam ser regados pelo menos três vezes na semana. Dependendo da quantidade de luz que recebem, suas folhas podem ficar bem grandes, chegando a “rasgar” as extremidades.

São plantas dormideiras, precisando de, pelo menos, oito horas de escuridão para que tenham um bom desenvolvimento.

Nome científico: Oxalis deppei ou O. tetraphylla speciosa.
Transplante:
Março
Desponta:
Abril a Maio
Floresce:
Junho a Agosto
Altura:
30 cm max.
Originária:
América do Norte, México.

Prefere terra não calcária. Deve ser semeado em aglomerado.
Prefere o sol.

Multiplica-se por bulbos, separando os tubérculos laterais da planta ao mudá-la.

No Inverno apenas deixar secar até morrer, altura em que fica dormente, guardar à sombra e suspender as regas; quando os dias voltarem a ficar longos e soalheiros, trazer novamente para o sol e voltar a regar.

Pode-se secar pressionando o trevo entre folhas de papel dentro de um livro, com um ferro de engomar “passar” o trevo entre folhas de papel vegetal.

trio-de-florzinhas

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


Palmeira Areca

Plantas por perto, expostas em vasos charmosos e em locais estratégicos! Aprenda quais são as ideais para ambientes internos como residências e escritórios.
Você tenta ter plantas no escritório, mas elas sempre morrem? Se a resposta é sim, a MbFlores traz algumas dicas sobre plantas que suportam locais com pouca luz solar e que toleram o ar-condicionado intenso dos escritórios, porém é preciso lembrar que mesmo sendo muito resistentes e duradoras também são seres vivos e necessitam de cuidados básicos, como água, adubo, limpeza, entre outros. Conheça algumas espécies:

. Arália – É uma planta que pouca gente conhece, porém é extremamente bela gosta de água e de preferência deve ficar próxima a janela. A adubação deve ser feita vez por mês diluindo o adubo líquido na água da rega.

. Comigo Ninguém Pode – Resistente, não gosta de muita água e não depende de uma adubação rigorosa (pode ser realizada a cada três meses). O adubo deve ser diluído na água da rega ou pode ser utilizado um adubo orgânico.

. Deacena - Popularmente conhecida como pau d’água sobrevive até em vasos cheios de água. Sua adubação deve ser mais intensa (a cada 15 dias). O adubo deve ser diluído na água da rega.

. Fícus – Pode ser encontrada em várias formas no mercado, uma das mais bonitas é o Ficus torcido. Não gosta de muita água e sua adubação deve ser feita uma vez por mês diluindo o adubo líquido na água da rega. Uma boa dica para manter esta planta sempre bonita e saudável é  limpar suas folhas pelo menos uma vez por mês, pois o acúmulo de poeira nas folhas pode prejudicá-la.

. Filodendros e Jibóia – São trepadeiras que têm um crescimento muito rápido e gostam de água. O ideal é borrifá-las todos os dias (folhas e raízes), já que suas raízes são aéreas. A adubação deve ser feita por pulverização mensal, o adubo deve ser diluído na água e pulverizado na planta. Direcione o seu crescimento impedindo que a planta saia do vaso.

. Palmeira Ráfia – Esta planta é muito resistente e não gosta de muita água. Sua adubação deve ser feita uma vez por mês diluindo o adubo líquido na água da rega. Com o passar do tempo é necessário podar as folhas mais velhas, pois ficam amarelas. Pode ocorrer também um amarelamento nas pontas das folhas novas devido à falta de adubo, estas pontas podem ser cortadas.

. Palmeira Areca - É uma planta muito comum, os cuidados são semelhantes ao da Ráfia. Um detalhe importante é a rega, ela necessita de mais água e luz que a Ráfia, por isso deve ser colocada sempre próxima a uma janela para evitar que morra.

. Lança-de-São-Jorge - Extremamente resistente, porém com crescimento lento. Vai super bem em qualquer lugar, gosta de água, mas o vaso deve ter uma ótima drenagem, pois se a água ficar acumulada pode apodrecer. Sua adubação deve ser feita com maior intensidade a cada 15 dias, pois seu crescimento é muito lento.

. Yuca - Esta planta gosta de muita água.  Vai bem em diversos ambientes, desde pleno sol até locais fechados como escritórios. Não necessita de muito adubo, sua adubação deve ser feita uma vez por mês diluído em água. Esta espécie costuma juntar uma grande quantidade de pó em suas folhas, por isso deve ser limpa constantemente.

. Zamioculca – Esta planta é extremamente bela, porém não é tão resistente como as plantas citadas anteriormente. Apesar de gostar de água ela é extremamente sensível ao acúmulo de água em seu vaso, por isso  deve ter uma drenagem ótima. Sua adubação deve ser feita mensalmente. A Zamioculca costuma juntar grande quantidade de pó em suas folhas devendo ser limpa com freqüência, pois o pó prejudica muito o seu desenvolvimento e pode levá-la a morte.

Dicas Finais – Lembre-se que estas plantas por estarem em um local com pouca ventilação e fechado estão sujeitas a sofrer ataques de pragas como Pulgão, por isso observe. Opte por inseticidas naturais como, por exemplo, o combate da Biofert, este inseticida natural é ótimo para resolver o problema e não prejudica as pessoas que estão no ambiente.

folhinhas

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


sementes

A produção de mudas de plantas através de sementes é tarefa geralmente simples, mas que exige alguns cuidados básicos. Ela pode ser feita em bandejas, tubetes, vasos ou saquinhos próprios para mudas. Em casa é possível aproveitar embalagens de garrafas pet, caixas de leite, latas, potes, bandejas plásticas, caixas de ovos, etc, perfazendo uma infinidade de recipientes recicláveis. O tamanho do recipiente é importante e está diretamente relacionado com o tamanho esperado da muda na época de transplante.
Mudas de árvores e arbustos se desenvolvem melhor em embalagens maiores, enquanto que plantas herbáceas, como flores anuais, temperos e hortaliças, ficam bem nos menores. Recipientes de mudas podem ser reutilizados, mas é imprescindível que sejam escrupulosamente lavados e esterilizados antes de cada uso, evitando assim a transmissão de doenças entre os lotes. Algumas sementes exigem semeadura diretamente no local definitivo, pois são muito sensíveis ao transplante, como as cenouras, por exemplo. Neste caso, prepare bem os canteiros e dispense os recipientes.

A escolha das sementes deve ser criteriosa. Elas devem possuir boa genética e serem livres de pragas e doenças. Sementes fracas e contaminadas são certeza de insucesso. Adquira sementes de empresas idôneas e responsáveis por sua qualidade, que fazem testes de germinação regularmente em todos os lotes. Escolha as sementes tendo como critério o local de origem das plantas e a estação do ano. Algumas espécies podem necessitar de frio para o seu desenvolvimento e desta forma não é indicado o seu plantio no centro-oeste, norte e nordeste, por exemplo. Outras só devem ser plantadas na primavera, evitando-se as outras estações do ano.

Na maioria das vezes, quanto mais frescas as sementes, melhor é o seu poder germinativo. No entanto, muitas sementes de árvores, arbustos e plantas anuais, possuem dormência, o que faz com que o passar do tempo e das estações seja importante para a sua germinação. Essa dormência pode ser superada no caso de sementes duras de diversas árvores. Técnicas especiais de quebra de dormência, que podem incluir escarificação mecânica, imersão em água quente, ou até mesmo ácido sulfúrico, garantem germinação em tempo recorde e de maneira mais uniforme, facilitando o futuro manejo das mudas. Verifique sempre se as sementes que você está adquirindo necessitam quebra de dormência, para realizar os procedimentos corretamente, evitando frustrações futuras.

Tenha em mente que o substrato ideal para o plantio está estritamente relacionado com o habitat da espécie escolhida. Cactáceas por exemplo, vão necessitar de um substrato mais arenoso. Plantas carnívoras preferirão turfas levemente ácidas e esfagno. Utilize substrato preferencialmente esterilizado, evitando assim que suas sementes entrem em contato com bactérias, fungos ou pragas, e desta forma apodreçam, ou seja, devoradas antes mesmo de germinar. É possível comprar substratos prontos para semear, já fertilizados e esterilizados, mas a tarefa de encontrá-los pode ser difícil, então disponibilizamos uma receita simples, que deve funcionar bem na maioria dos casos:

* 1/4 de terra comum de jardim
* 1/4 de areia (ou vermiculita)
* 2/4 de terra vegetal (composto orgânico)

    Esterilize o solo, colocando-o no sol até secagem completa, revirando de vez em quando, perfazendo pelo menos 24 horas de solarização. Alternativamente é possível esterilizar o substrato colocando-o no forno por 30 minutos ou no microondas por 3 minutos para cada quilo de substrato.

    Não utilize fertilizantes orgânicos não decompostos nesta fase, pois eles podem fermentar matando as pequenas plantas. Evite também o nitrogênio, pois pode ser muito forte para as frágeis raízes em desenvolvimento. No entanto, não abra mão de um bom fertilizante rico em fósforo e potássio, como um NPK 0.20.20, 0.30.20, ou 4.14.8, que garante raízes fortes e vigorosas, além de calcário para neutralizar o pH do substrato, evitando a toxidez por alumínio. Depois de completamente frio, adicione os fertilizantes e coloque o substrato nos recipientes (bandejas, potes, tubetes).

    Faça uma pequena cova e deposite de 2 a 5 sementes em cada tubete, saco plástico ou célula da bandeja. A profundidade de cada sementes deve ser calculada em função do seu tamanho e necessidade de luz para germinar. A regra geral é cobrir cada semente com substrato peneirado em uma camada com cerca de 2 a 3 vezes o seu tamanho. Algumas sementes são tão pequenas que não necessitam ser cobertas. Não esqueça de identificar cada sementeira com uma plaqueta de identificação.

    Irrigue com água da torneira descansada, para evitar os efeitos danosos do cloro. A freqüência das regas deve ser o suficiente para manter o substrato úmido, sem encharcar. Se faltar água no processo de germinação das sementes, elas se desidratam e morrem. Utilize para irrigar um regador de crivo muito fino, ou até mesmo um pulverizador, evitando-se assim molestar as sementes. Após a germinação é possível reduzir gradativamente as regas, de acordo com o desenvolvimento das raízes.

    Mantenha em local de bastante luz, porém sem sol direto. O ideal é construir um pequeno viveiro aberto nas laterais e coberto com sombrite, para o verão e locais quentes, ou uma estufa coberta com lona branca ou transparente, para o inverno e em locais frios. Se não for possível, coloque em local que receba luz indiretamente, como uma janela pegando o sol da manhã ou da tardinha, protegido de ventos fortes.

    Quando as plantas estiverem com 2 a 3 pares de folhas, faça o raleio, retirando cuidadosamente das sementeiras àquelas que forem mais fracas e doentes, deixando apenas uma em cada célula. As mudas saudáveis, retiradas durante o raleio, poderão ser repicadas (replantadas) em novos recipientes preparados. Depois que as mudas atingirem 10 cm de altura (para herbáceas e arbustos), ou 15 a 20 cm de altura (para árvores), o que se dá cerca de 30 a 45 dias após a germinação; elas poderão ser plantadas para local definitivo ou para recipientes maiores. O transplante é uma ocasião delicada, que exige mãos habilidosas. Ele deve ser realizado preferencialmente em dias nublados e úmidos, e, se não for possível este tempo, prefira transplantar à tardinha. Se efetuado de bandejas sem divisórias utilize um garfo para auxiliar.

    Transplantar de saquinhos e tubetes já é tarefa mais fácil, mas exige igual cuidado. Plante as mudinhas em covas bem dimensionadas, fertilizadas com 150 gramas de esterco curtido e 30 gramas de NPK 04.14.08. Misture bem os fertilizantes e estercos com a terra. Acomode a muda no centro e preencha as laterais com a terra adubada. Cuide para que o colo da muda permaneça no mesmo nível do solo. Irrigue diariamente até o perfeito “pegamento da muda”, ou seja, quando ela der claros sinais de desenvolvimento. Respeite o espaçamento entre mudas e entre linhas da espécie que você estiver cultivando.

    Algumas mudas podem necessitar de tutores na fase de transplante, como árvores e trepadeiras, evitando assim tombamentos acidentais enquanto não estiverem fortes e enraizadas. Proteja as mudas de formigas cortadeiras com produtos específicos para este fim.

    Por fim, desejo boa sorte a todos os jardineiros que se aventurarem no plantio de sementes. O plantio das suas próprias mudas de plantas ornamentais e hortaliças é uma tarefa realmente gratificante, mas o trabalho não termina por aqui: o cuidado com as plantas deve ser contínuo, não deixando faltar água e nutrientes, fazendo a manutenção com podas e tutoramentos e resguardando-as de pragas e doenças.

    semeando

    Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

    OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


    Hydrangea macrophylla

    Um belo e criativo arranjo floral sempre alegra qualquer ambiente. Dá vida nova ao escritório, à sala e até mesmo aos banheiros. Mas sempre que vamos adquirir flores, vem à nossa mente a preocupação com a durabilidade, afinal elas são um investimento não somente financeiro, mas também do tempo que demandamos para arranjá-las e cuidá-las.

    Assim, alguns cuidados são importantes na hora de escolher, armazenar, manipular e manter as flores, para que estas permaneçam bonitas pelo maior tempo possível. As dicas a serem apresentadas aqui se destinam às flores de corte e não se aplicam aos vasinhos floridos.

    Os cuidados com as flores de corte iniciam-se antes mesmo delas chegarem às nossas casas. Elas são produzidas sob rigoroso controle fitossanitário e manipuladas com todo cuidado desde a colheita passando pela hidratação até a embalagem. Embaladas, elas são transportadas em caminhões frigoríficos para que cheguem fresquinhas aos centros de distribuição.

    Os períodos ideais para compras são pela noite, madrugada e manhã. Nessas horas, mais frescas, as plantas resistem mais à manipulação e ao transporte. Escolha sempre flores em ótimas condições com hastes verdes e firmes, sem partes amolecidas ou amareladas e pétalas vistosas, sem amassados ou manchas. Escolha preferencialmente flores em botão, mas preste atenção aos botões grandes e bem formados. Botões muito pequenos podem apodrecer e cair antes mesmo de desabrocharem.

    No caso das rosas pergunte sempre sobre a variedade escolhida, pois muitas delas têm a finalidade de permanecerem botões fechados e não chegam a desabrochar, sendo mais duráveis, enquanto outras desabrocham em toda sua plenitude.

    Jamais compre flores ou folhagens murchas, com a esperança de reanimá-las. Você pode até conseguir, mas certamente sua durabilidade estará comprometida. Escolhidas as flores, peça ao vendedor que as embale cuidadosamente.

    Se você não puder preparar os arranjos imediatamente após a compra, guarde as flores na gaveta de frutas e legumes do refrigerador, com exceção de orquídeas, camélias, ou flores tropicais. Quando chegar a hora de você libertar seu espírito criativo, criando maravilhas para o deleite de todos, tome os seguintes cuidados:

    Corte em um dedo ou mais, a haste das flores e folhagens. Realize o corte em diagonal com tesoura ou estilete bem afiados e preferencialmente sob a água. Este cuidado evita que durante o corte formem-se bolhas de ar nos canais vasculares da planta, reduzindo assim sua capacidade de absorção. Tesouras ou facas mal amoladas são prejudiciais pois esmagam os tecidos durante o corte, danificando as hastes e predispondo-as ao apodrecimento precoce.

    Refresque folhagens e rosas com pulverizações de água, mas resguarde qualquer outra espécie de flor. Antes de montar o arranjo remova todas as folhinhas das hastes florais, principalmente na região que ficará sob a água. Folhas embaixo da água apodrecem rapidamente, contaminando as hastes e provocando mau cheiro. Utilize somente a quantidade necessária de água ao arranjo e evite a água mineral, pois sua alta condutividade é prejudicial às flores. As hastes só absorvem água pelo local do corte, sendo que outras partes em contato com a água favorecem o crescimento de fungos e bactérias.

    Prefira espumas florais ao invés de argila. Além de mais fáceis de trabalhar elas são mais higiênicas. Hidrate as espumas em um balde com água antes do uso. Não utilize açúcar, água sanitária ou outras receitas caseiras na água dos arranjos. Prefira um bom conservante floral ou simplesmente use água gelada, trocada todos os dias.

    Não esqueça que algumas espécies de plantas duram muito mais que outras. Leve isso em consideração na hora de compor os arranjos. Geralmente plantas com pétalas, hastes e brácteas mais rígidas duram mais, como as helicônias, rosas, estrelítzas, gengibres e outras. Flores de pétalas e hastes tenras, como hortênsias e outras de flores miúdas como mosquitinho e tango, são normalmente mais sensíveis e tem menor durabilidade.

    Ambientes muito secos, com ar condicionado, por exemplo, e quentes deterioram mais rapidamente as flores, enquanto que ambientes frescos e sombreados favorecem maior durabilidade. Você pode ainda renovar seus arranjos, cortando as hastes a cada dois dias, eliminando assim, partes apodrecidas e melhorando a absorção de água pelas plantas.

    Flores de Corte: aumente a sua durabilidade
    Um belo e criativo arranjo floral tem sempre a capacidade de alegrar qualquer ambiente. Dá vida nova ao escritório, à sala e até mesmo às casas de banho. Mas sempre que adquirimos flores, vem à nossa mente a preocupação com a durabilidade, afinal elas são um investimento não somente financeiro, mas também do tempo que demandamos para arranjá-las e cuidá-las.
    Assim, alguns cuidados são importantes na hora de escolher, armazenar, manipular e manter as flores, para que estas permaneçam bonitas pelo maior tempo possível. As dicas a serem apresentadas aqui destinam-se às flores de corte e não se aplicam aos vasinhos floridos.
    Os cuidados com as flores de corte iniciam-se antes mesmo delas chegarem a nossas casas. Elas são produzidas sob rigoroso controlo fitossanitário e manipuladas com todo cuidado desde a colheita passando pela hidratação até a embalagem. Embaladas elas são transportadas em caminhões frigoríficos para que cheguem fresquinhas aos centros de distribuição. Os períodos ideais para compras são pela noite, madrugada e manhã. Nessas horas, mais frescas, as plantas resistem mais à manipulação e ao transporte. Escolha sempre flores em ótimas condições com hastes verdes e firmes, sem partes amolecidas ou amareladas e pétalas vistosas, sem amassados ou manchas. Escolha preferencialmente flores em botão, mas preste atenção aos botões grandes e bem formados. Botões muito pequenos podem apodrecer e cair antes mesmo de desabrocharem.

    No caso das rosas pergunte sempre sobre a variedade escolhida, pois muitas delas têm a finalidade de permanecerem botões fechados e não chegam a desabrochar, sendo mais duráveis, enquanto outras desabrocham em toda sua plenitude.
    Jamais compre flores ou folhagens murchas, com a esperança de reanimá-las. Você pode até conseguir, mas certamente a sua durabilidade estará comprometida. Escolhidas as flores, peça ao vendedor que as embale cuidadosamente.

    Renove os arranjos, trocando a água diariamente. Se não puder preparar os arranjos imediatamente após a compra, guarde as flores na gaveta de frutas e legumes do refrigerador, com exceção de orquídeas, camélias, ou flores tropicais. Quando chegar a hora de libertar o seu espírito criativo, criando maravilhas para o deleite de todos, tome os seguintes cuidados:

    * Corte em um dedo ou mais, a haste das flores e folhagens. Realize o corte na diagonal com tesoura ou estilete bem afiados e preferencialmente sob a água. Este cuidado evita que durante o corte formem-se bolhas de ar nos canais vasculares da planta, reduzindo assim a sua capacidade de absorção. Tesouras ou facas mal amoladas são prejudiciais pois esmagam os tecidos durante o corte, danificando as hastes e predispondo-as ao apodrecimento precoce.

    * Refresque folhagens e rosas com pulverizações de água, mas resguarde qualquer outra espécie de flor. Antes de montar o arranjo remova todas as folhinhas das hastes florais, principalmente na região que ficará sob a água. Folhas submersas apodrecem rapidamente, contaminando as hastes e provocando mau cheiro. Utilize somente a quantidade necessária de água ao arranjo e evite a água mineral, pois a sua alta condutividade é prejudicial às flores. As hastes só absorvem água pelo local do corte, sendo que outras partes em contacto com a água favorecem o crescimento de fungos e bactérias.

    * Prefira espumas florais ao invés de argila. Além de mais fáceis de trabalhar elas são mais higiênicas. Hidrate as espumas num balde com água antes do uso. Não utilize açúcar, água sanitária ou outras receitas caseiras na água dos arranjos. Prefira um bom conservante floral ou simplesmente use água gelada, trocada todos os dias.

    Não esqueça que algumas espécies de plantas duram muito mais que outras. Leve isso em consideração na hora de compor os arranjos. Geralmente plantas com pétalas, hastes e brácteas mais rígidas duram mais, como as heliconias, rosas, estrelícias, gengibres e outras. Flores de pétalas e hastes tenras, como hortênsias e outras de flores miúdas são normalmente mais sensíveis e tem menor durabilidade.

    Ambientes muito secos, com ar condicionado por exemplo, e quentes deterioram mais rapidamente as flores, enquanto que ambientes frescos e sombreados favorecem maior durabilidade. Pode ainda renovar os seus arranjos, cortando as hastes a cada dois dias, eliminando assim, partes apodrecidas e melhorando a absorção de água pelas plantas.

    vasinho

    Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

    OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


    Hortensia

    Hortênsias são adoráveis como plantas. Elas também funcionam bem plantadas em massa – como arbustos ou árvores. Elas podem ser usadas como barreira ou grade. Com mais de 100 espécies diferentes de hortênsia, além de várias subespécies e cultivares, é muito difícil dar instruções específicas sobre plantação e cultivo. Hortênsias vêm em uma ampla variedade de tamanhos, tipos de flores e robustez.

    Se você for novo no mundo das hortênsias, você pode facilmente verificar o aparecimento de espécies diferentes on-line. Isto irá familiarizá-lo com os diferentes tipos e variedades de hortênsia, para que quando você for comprá-las você saber o que está procurando. O melhor é comprar hortênsias que estão florescendo. Esta será a garantia para que você saiba exatamente o que está recebendo e que será feliz com ele. Se você comprar hortênsias que não estão em flor, só compre aquelas com uma imagem da flor anexada. Se não houver uma foto anexada, peça a um empregado para lhe mostrar uma foto. Se não tiverem, você provavelmente deverá ir em outro lugar para comprar sua hortênsia.

    *    A melhor época do ano para plantar hortênsias é no Outono. No entanto, você pode plantar hortênsias que tiver comprado da floricultura local em qualquer época do ano. Tome cuidado, porém, hortênsias que são  plantadas na parte mais quente do verão e no princípio da Primavera podem não prosperar.

    *    Ao escolher uma localização para suas hortênsias, você deve escolher aquela que recebe sol pela manhã e sombra à tarde. Você deve evitar plantar sua hortênsia sob uma árvore. A hortênsia terá de competir com a árvore por umidade. A árvore provavelmente irá impedir a hortênsia de receber a luz de que necessita para prosperar.

    *    Hortênsias amam água. Eles preferem ser plantadas em solos que são muito ricos. Para manter o solo úmido, acrescente matéria orgânica a ele.

    *    Você deve cavar o buraco de plantio com duas vezes o diâmetro da raiz da hortênsia. Você deve cavar o buraco para que uma vez plantado, a hortênsia esteja no mesmo nível do chão, assim como estava em seu recipiente.

    *    Antes de você colocar a hortênsia em seu buraco, você deve afrouxar o solo ao redor do lado de fora da raiz. Isso irá ajudar a espalhar as raízes mais facilmente quando forem plantadas.

    *   Coloque a hortênsia em seu buraco. Preencha o buraco com solo e aperte com seu pé. Para livrar o solo de bolsões de ar você deve aguá-lo bem.

    *   Adicione uma camada de adubo para a hortênsia recém plantada. Isso irá ajudar a conservar a umidade do solo.

    *    Fertilize na Primavera, em torno de maio. Escolha um fertilizante de liberação lenta. Se sua hortênsia parecer doente, não a fertilize.

    *    A Primavera é também o momento em que você deve podar. Tenha cuidado para que você não corte quaisquer novos brotos.

    *   Você também deve podar no fim do verão, quando a floração da hortênsia tiver acabado. Se sua hortênsia começar a ter muitas flores, você colocá-la.

    tulipas

    Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

    OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


    plantando

    Se você abraçou recentemente um projeto de jardinagem, provavelmente já estudou a localização, assim como a quantidade de luz solar e de sombra que o seu futuro jardim vai receber. Em função de tudo isso, já escolheu as flores, plantas ou legumes que quer ver florescer o mais depressa possível, agora só resta plantar, por isso, arregace as mangas e mãos à terra!

    Preparando o solo

    Se ainda não preparou o solo para receber as suas plantas, há que o fazer agora! Mande analisar a sua terra ou faça você mesmo com um dos muitos kits que existem para o efeito. Um solo pode ser ácido, alcalino ou neutro e, uma vez descoberto isso, é necessário adquirir um adubo que se adeque a esse tipo de terra.

    O solo ideal deve ter uma boa camada de matéria orgânica, ou seja, dever ser rico em húmus (uma substância escura composta por folhas secas, plantas e animais mortos), seguido de terra solta e argilosa, que permite uma boa drenagem e oxigenação.

    Se o seu solo for arenoso, terá dificuldade em absorver a água e outras substâncias nutritivas, o que implica que terá de ser enriquecido com húmus ou argila. Se for o seu caso, utilize uma mistura equilibrada de terra preta e adubada com 50% de terra argilosa ou de barro. Se, por outro lado, a sua terra for argilosa, vai ter de lhe acrescentar areia do rio, nunca areia de praia.

    Com a pá na mão

    Com recurso a uma pá (grande ou pequena, dependendo do espaço que vai jardinar) ou até com as mãos, comece por revirar o solo (cerca de 20 a 30 cm de profundidade), partindo os bocados de terra existentes e retirando raízes, ramos, folhas ou outros objetos enterrados que não pertencem ao seu novo jardim!

    Se vai incluir um composto ou fertilizante, adicione-o ao topo do solo, criando uma camada de 10 a 12 cm que vai espalhar por toda a área a jardinar com a ajuda de um ancinho. Deixe o solo arejar e habituar-se à sua nova mistura antes de plantar.

    Plantar e Plantar!

    Se vai plantar sementes, é importante cavar pequenas fileiras paralelas umas às outras, mas com um espaço mínimo de 90 cm entre cada fileira. Criar o espaço ideal para um crescimento livre e pouco apertado das suas flores é algo que tem de considerar nesta fase.

    Quando em dúvida, dê mais espaço, para que uma vez floridas, não vai ter as plantas e flores todas umas em cima das outras.

    A vantagem de plantar sementes é que, por norma, as embalagens trazem todas as instruções necessárias: a melhor altura para semear, a que profundidade e com que espaçamento. A maioria exige uma profundidade de cerca de 4 cm.

    Colocadas as sementes, há que cobri-las, mas não acame, nem de mais, nem de menos, a terra à sua volta. Certifique-se apenas que esteja firme e não muito apertada. Para assegurar que a semente “pegue”, ou seja, que crie raízes e rebentos, há que manter o solo úmido.

    Se optar por plantar estacas, remova o recipiente ou embalagem em que se encontra e aconchegue-as em pequenas covas escavadas na terra. Certifique-se que o pé esteja ao nível ou ligeiramente abaixo do solo que o rodeia e apóie a planta com terra suficiente para que ela se mantenha firmemente de pé. Haverá casos em que terá de remover folhas ou ramos em excesso, não tenha pena de o fazer porque, desse modo, as raízes terão de suportar menos peso e vão “pegar” mais fácil e mais rapidamente.

    Cuidados Diários

    Com as suas sementes e flores confortavelmente plantadas no novo jardim, regue-as ligeiramente e com frequência ao longo das semanas seguintes, uma fase que requer que o solo esteja sempre húmido. Quando as plantas mostrarem sinais de força e as sementes já deram sinais de vida, reduza a frequência da rega, em detrimento da água com profundidade. A próxima preocupação é assegurar que a água, em quantidade, chegue às raizes. As raízes têm de continuar a desenvolverem-se em profundidade, para suportarem a planta que, a partir de agora (e se tudo correr bem!) não vai parar de crescer, o que implica que vai precisar de todo o apoio possível na sua base.

    Nos primeiros tempos de vida, vigie a saúde das suas novas plantas e se verificar manchas amarelas nas folhas, pode ter de adicionar um pouco mais de fertilizante ao solo.

    Dentro do possível, mantenha a terra do seu jardim limpa e livre de ervas daninhas. Esteja atento aos predadores – desde insetos, lagartas e roedores – que podem prejudicar o seu espaço verde num abrir e fechar de olhos. Se tiver de recorrer a um pesticida, opte sempre pelas soluções menos tóxicas e siga as suas instruções à risca!

    Por fim, não se esqueça de desfrutar do jardim que criou e que está a ajudar a crescer… não o veja como uma tarefa tediosa, mas antes um hobby divertido e relaxante. Entregue-se ao prazer da jardinagem!

    ferramentas de jardim

    Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

    OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


    Flores plantadas  – Flores de corte, buquê e ramalhete – Arranjos em base de espuma floral – Buquês de Agapanthus (com uma bolsa de água) – Cactos – Bromélias – Orquídea Phalaenópsis – Orquídia Cymbidium – Bonsai – Violetas

    Flores Plantadas
    Rega:
    A quantidade de água que cada planta necessita é variável. O ideal é sempre molhar quando a terra estiver seca. Para verificar se a terra (ou substrato) está seco ou úmido utilize a ponta dos dedos. Em geral, molhar duas a três vezes por semana com pouca água de cada vez. Importante: Não deixar acumular água no fundo do vaso.
    Limpeza: Faça a limpeza freqüente das plantas retirando folhas e flores secas e/ou doentes, com o auxílio de uma tesoura.
    Luz: Mantenha sua planta em local fresco e bem iluminado, evite exposição direta ao sol. Cuidados especiais: Se possível, evite locais com ar condicionado e exposição próxima à lâmpada dicróica ou halógena.

    Flores de corte, Buquê e Ramalhete
    Cuidados iniciais:
    Ao receber as flores, retire a embalagem, corte 2 cm da base das hastes utilizando uma faca ou tesoura afiada, se possível embaixo da água, para facilitar a absorção da água.
    Limpeza: Retire as folhas que ficarão submersas na água para evitar proliferação de bactérias. Com o passar do tempo, algumas flores e folhas podem murchar, retire-as com o auxílio de uma tesoura.
    Manutenção: Substitua a água do vaso a cada 2 dias; lave o vaso a cada troca de água e proceda o corte da haste conforme descrito em cuidados iniciais. Não borrife água sobre as flores.
    Luz: Mantenha suas flores em local fresco e bem iluminado, não exponha as flores diretamente ao sol.
    Cuidados especiais: Se possível, evite locais com ar condicionado e exposição próxima à lâmpada dicróica ou halógena.

    Arranjos em base de espuma floral
    Conservação:
    Molhar diariamente o arranjo diretamente na base espuma floral, no mínimo 1 vez ao dia. Despeje a água lentamente, aguardando que a espuma absorva a água por completo. Não borrife água sobre as flores.
    Luz: Mantenha suas flores em local fresco, não exponha o arranjo diretamente ao sol.
    Limpeza:
    Com o passar do tempo, algumas flores e folhas podem murchar, retire-as com o auxílio de uma tesoura.
    Cuidados especiais:
    Se possível, evite locais com ar condicionado e exposição próxima à lâmpada dicróica ou halógena.

    Buquês Agapanthus (com uma bolsa de água)
    Exclusividade:
    O buquê Agapanthus vem com uma bolsa em sua base, contendo água, conservantes e nutrientes para proporcionar maior durabilidade de suas flores; não sendo necessária sua colocação em vaso. O buquê fica em pé, sustentado pela bolsa d’água. Conservação: Caso verifique que o volume de água diminuiu, complete o nível da mesma despejando água lentamente no centro do buquê. Não borrife água sobre as folhas.
    Luz: Mantenha suas flores em local fresco; não exponha o arranjo diretamente ao sol. Limpeza: Retire as flores e folhas murchas com o auxílio de uma tesoura.
    Cuidados especiais: Se possível, evite locais com ar condicionado e exposição próxima à lâmpada dicróica ou halógena.

    Cactos
    Origem:
    Regiões áridas das Américas.
    Conservação: Acostumado a condições climáticas rigorosas, ele pede pouca água e um mínimo de adubo.
    Mini cacto: Regar a cada 15 dias, (usar como medida uma tampa de caneta Bic) com uma medida de água para cada planta de cacto.
    Cacto: Regar a cada 15 dias, molhar bem a base e deixar escorrer.
    Luz: Mantenha o seu cacto em local de boa luminosidade e boa ventilação, de preferência escolha um local onde bata sol. (Evitar ambientes úmidos como cozinha e banheiro). Adubação: Para adubar, basta substituir, uma vez por mês, a água da rega por outra misturada ao adubo para plantas verdes, na proporção indicada pelo fabricante.

    Bromélias
    As bromélias são planta epífitas (apóiam-se em árvores mas não retiram nutrientes delas), na natureza dependem de chuva e orvalho forte a noite para obter água.
    Rega:
    Molhar 1 a 2 vezes por semana, borrifando fartamente as folhas, pois a água borrifada nas folhas acaba indo para o copo da bromélia, sem necessariamente deixar acúmulo de água, evitando atrair insetos. Não deixar também acumular água no fundo do vaso.
    Limpeza: Faça a limpeza freqüente das plantas retirando folhas secas e/ou doentes, com o auxílio de uma tesoura.
    Luz: Mantenha sua bromélia em local fresco e com bastante claridade, porém evite exposição direta ao sol.
    Cuidados especiais: Se possível, evite locais com ar condicionado e exposição próxima à lâmpada dicróica ou halógena.

    Orquídea Phalaenópsis
    Origem:
    Indonésia e Filipinas, e como orquídea tropical prefere temperaturas entre 18 e 28 graus. Evite expor sua Phalaenópsis a geadas e ventos frios.
    Histórico: A Phalaenópsis é uma planta epifhyta (epi = em cima + phyta = planta). Neste caso ela usa suas raízes grossas para segurar-se às cascas das árvores. A epiphyta é uma planta que se desenvolve sobre outra planta, usando-a como apoio. Não é uma parasita. Podemos observar que, quando plantada no tronco de uma árvore, suas raízes crescem para todos os lados; por esta razão é que parte das raízes da Phalaenópsis cultivada em vaso está sempre para fora.
    Rega: A rega deve ser feita a cada 15 dias quando o vaso está bem leve. Depois de regar, retire o excesso de água para que as raízes não fiquem danificadas ou até mesmo venham a apodrecer. Adubação: É recomendado adubar uma vez por mês, com adubo específico, conforme instrução do fabricante.
    Luz: Colocar sua planta em local bem iluminado e bem ventilado, de preferência onde a planta possa receber o sol da manhã. Quando a planta está sem flores, é preferível deixá-la na área ou no jardim num lugar bem protegido do sol do meio-dia (por exemplo: debaixo de uma árvore). Florada: Quando as flores murcharem, corte a haste deixando 20 cm na planta: pode sair outro cacho de flores na haste, ainda no mesmo ano. Também pode sair da planta, outra haste no próximo ano. Em seu habitat natural a Phalaenópsis floresce após a época do frio, quando é formado o botão. É por isto que o pico de florescimento ocorre no início da primavera. Cuidados Especiais: Evite locais com ar condicionado e exposição à lâmpada dicróica ou halógena.

    Bonsai
    A tradução literal da palavra bonsai, que é de origem japonesa, é “plantado na bandeja”. Bonsai é a arte que consiste em manter uma planta por tempo indeterminado em um pequeno recipiente (vaso), controlando seu crescimento e forçando-a a crescer de maneira mais lenta e com o formato desejado, formato este que deve aparentar o mais próximo possível uma árvore perfeita na natureza (mini árvore). Bonsai é uma terapia, um hobby, um desafio, uma escultura viva! Uma ótima opção para presente! Os bonsais podem ser de árvores, arbustos, cedros, flores, frutíferas, trepadeiras, desde que formem troncos (madeira lenhosa). Para que seu bonsai continue uma miniatura bonita e saudável por muitos anos, ele necessitará dos seguintes cuidados…
    Luz: As plantas usadas para bonsai são, na sua grande maioria, plantas de exterior e por isso necessitam de luz intensa e natural para sobreviverem.
    Há plantas que sobrevivem bem dentro de uma casa, perto de uma janela, mas certamente, tanto a planta como suas folhas cresceriam bem mais rápido do que se estivessem num local ventilado e sem cobertura (fora de casa). Além de crescerem aceleradamente estragando o seu bonsai, as plantas mantidas dentro de casa permanecem úmidas por muito mais tempo, ocorrendo assim o apodrecimento de suas raízes. Portanto, o local ideal para o bonsai é em local aberto onde a planta recebe luz e vento de todos os lados. Em locais semi cobertos, gire o vaso para que pegue luz em todos os lados. Muito cuidado há que se ter com o horário e a quantidade de sol direto que o bonsai deve receber. Lembramos que o sol direto sem proteção nos horários entre 10:00 h e 4:00 h pode ser fatal para o bonsai.
    Portanto, encontre um local em que seu bonsai possa ficar mais á sombra nos horários de sol intenso. No verão, o sol da tarde é muito forte e prejudicial para a maioria das plantas cultivadas em vasos.
    Nesta estação evite deixar o bonsai exposto ao sol forte ou cubra-o com tela de sombrite 50%( são vendidas em casa de produtos agropecuários ), isto para as plantas em locais que ficam expostas ao sol direto o dia todo. A falta de luz natural ( que não é o sol direto necessariamente ), a queima pelo sol forte direto e a permanência do bonsai em locais fechados e abafados estão entre as principais causas de morte de bonsais.
    Rega: Ao regar a planta, deve-se molhar toda a área do vaso proporcionalmente. Utilize um regador de chuveirinho ou mangueira de esguicho fino (tipo chuveirinho). Regue com intervalos de alguns segundos para que a água possa penetrar até o fundo do vaso. No verão o bonsai deve ser molhado obrigatoriamente uma a duas vezes por dia e no inverno pode-se espaçar mais (de 2 em 2 dias). Ao regar, certifique-se que a água penetrou e vazou pelo orifício de drenagem. Em casos de viagens curtas (até uma semana), você pode deixar o bonsai dentro de uma bacia com água até a metade da altura do vaso até o retorno, evitando-se assim as regas diárias. Lembre-se quanto menor e mais raso o vaso do bonsai, mais regas por dia deverão ser feitas. Se houver falta de água por um longo período, mergulhe o bonsai em água por cerca de 5 min. Se tiver dificuldade nas regas devido ao endurecimento exagerado da terra do vaso, faça pequenos furos na superfície da terra para a água penetrar melhor. A falta de água é a principal causa de morte dos bonsais, portanto não economize água nas regas!
    Ventilação: A boa ventilação seca rapidamente o solo, ajudando a controlar, indiretamente, o crescimento acelerado do bonsai, além de proteger a planta de certas pragas, como ácaros e fungos. Portanto, mantenha o seu bonsai a maior parte do tempo ao ar livre!
    Limpeza: Uma vez por mês, retire com a mão as folhas mortas e secas de dentro do bonsai, e com uma tesoura faça a poda e elimine os ramos secos. Em seguida, para retirar todo o pó, sujeira e ácaros, lave com um esguicho de água.
    Adubação: A maneira mais fácil e prática de fornecer nutrientes para seu bonsai é utilizar adubos líquidos npk que contenham todos os nutrientes essenciais (N, P, K, mais nutrientes ), na metade da dosagem proposta pelo fabricante e através das regas. EX. BIOFERT PLUS – dilua 2,5 ml em 1 litro de água e regue a cada 15 dias na primavera e outono, cada 20 dias no verão e cada 40 dias no inverno.
    Pragas e doenças: Sugerimos que tenha em casa o inseticida DIMY PRONTO Spray e o fungicida CUPRODIMY. Pulverize a planta com estes produtos após efetuar a limpeza.
    Poda, pinçagem e aramagem: Para manter a forma original do seu bonsai, procure pinçar com os dedos o excesso de brotações dos ramos (pinçagem), várias vezes ao ano. Uma vez por ano, no final do inverno ou início da primavera, você pode podar os galhos para diminuir o tamanho do bonsai ou modificar o seu formato (poda). Você pode ainda conduzir os galhos do seu BONSAI com arames. Para isso, enrole o arame, entorte os galhos e mantenha-o preso por 5 meses.
    Replantio: Uma vez por ano, o BONSAI deve ser retirado do vaso no final do inverno ou início da primavera. Após isso utilizando-se de um garfo, desmanche a metade do torrão e pode com uma tesoura afiada cerca de 30% a 50% das raízes. Em seguida plante-o novamente da seguinte maneira: lave bem o vaso antigo ou escolha um vaso novo; coloque um pedaço de tela no orifício de drenagem e uma pequena camada de areia grossa ou pedriscos; no caso de cedros e pinheiros plante com uma mistura de 40% de areia grossa + 60% de terra preta com um pouco de húmus; para bonsais de arbustos, frutíferas e floríferas, plante com uma mistura de 20% a 30% de areia e 80% a 70% de terra preta com húmus; regue bem mantenha à sombra por 1 mês.

    Seguindo esses cuidados, você terá um lindo bonsai para a vida toda

    Violetas
    Descoberta em 1892 pelo pesquisador e barão alemão Walter Von Saint Paul, nas montanhas do nordeste da Tanzânia, a violeta-africana é hoje muito cultivada no Brasil. Os inúmeros processos de hibridação, realizados ao longo dos anos, resultaram em 18 espécies com cerca de 6 mil variedades!
    Rega:
    O maior cuidado que se deve ter é evitar molhar as folhas da violeta, pois elas podem até apodrecer com a umidade. Se optar por fazer a rega por baixo, ou seja, colocando água apenas no pratinho, lembre-se de pelo menos uma vez por mês, fazer uma rega por cima para diminuir concentração de sais minerais no solo. Outro cuidado: as violetas detestam água clorada, portanto, para eliminar o cloro, ferva a água e deixe-a esfriar bem antes de usá-la na rega. Não deixe acumular água no fundo do vaso.
    Luz: A violeta-africana precisa de muita luminosidade, mas não suporta sol direto. A luz solar filtrada pelo vidro de uma janela, por exemplo, e temperaturas em torno de 25 graus C formam o ambiente ideal para a planta. Se for colocar o vaso no parapeito da janela, uma boa dica para garantir o crescimento simétrico da violeta é ir virando o vaso, semanalmente, obedecendo sempre o mesmo sentido.
    Adubação: Existem fertilizantes químicos (com fórmula NPK) específicos para as violetas, encontrados nas lojas especializadas em produtos para jardinagem. É recomendável, porém, variar essa adubação periodicamente, alternando com algum fertilizante orgânico, como farinha de ossos e húmus, para garantir uma floração abundante e sadia.
    Limpeza: Faça a limpeza freqüente das violetas retirando folhas e flores secas e/ou doentes, com o auxílio de uma tesoura.
    Cuidados especiais: Se possível, evite locais com ar condicionado e exposição próxima à lâmpada dicróica ou halógena.

    Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

    OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


    phlox - chitinha

    Nome Científico: Phlox drummondii
    Nome Popular: Flox, flocos, flox-azul, chamas, Chitinha
    Família: Polemoniaceae
    Origem: Estados Unidos
    Ciclo de Vida: Anual

    Ela é uma das variedades mais solicitadas pelo seu colorido vivo e variado, pequeno porte e fácil cultivo. Muito apropriada para canteiros, vasos e platibanda. Prefere lugares bem abertos, chega atingir 30 cm de altura e germina entre 7 a 21 dias. A temperatura ideal para germinar é de 15º a 20º.
    Pode ser semeada diretamente no local, mas como sugestão, o ideal seria melhor utilizar primeiro uma sementeira e transplantar quando ela atinge 6cm de altura, deixando mais ou menos 12 cm de distância entre as plantas.
    Regar uma vez por dia, preferencialmente uma vez ao dia, no início da manhã ou no final da tarde.

    Nativa do estado do Texas nos Estados Unidos, a flox é uma planta de cerca de 30 cm de altura e apresenta ramagem densa, macia e folhas verde-claras em forma de lança. As flores surgem em pequenos buquês, e podem ser de diversas cores e formas, principalmente brancas, azuis, roxas, vermelhas ou róseas, com mesclas entre estas cores.

    Elas ainda podem ser simples ou dobradas, de pétalas estreitas ou largas, lisas ou franjadas, de acordo com a variedade. A floração inicia-se no final do inverno, atingindo seu auge na primavera e se estende pelo verão. São muito atrativas para as borboletas.

    O flox presta-se para a formação de belos maciços em gramados, ou como bordadura, além de ser muito plantada em vasos. Deve ser cultivada em solos férteis e ricos em matéria orgânica, sempre a pleno sol.

    Aprecia o frio e não tolera temperaturas muito quentes, desidratando-se com facilidade.

    Multiplica-se por sementes, postas a germinar no outono em ambientes protegidos.

    joaninha

    Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

    OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


    Hemerocallis_x_hybrida (Small)

    Nomes Populares: Hemerocale, Hemerocális, lírio-de-são-josé, lírio-amarelo, lírio-de-um-dia. (apesar do nome, não são lírios verdadeiros),
    Nome Científico: Hemeocallis x hybrida
    Família: Hemerocallidaceae.
    Divisão: Angiospermae
    Ciclo de Vida: Planta herbácea, perene com rizoma

    Origem: Europa, China, Coréia, Sibéria e Japão

    Propagação: por divisão de touceiras, As folhas devem ser cortadas pela metade durante o plantio.

    Flores: Na maioria das espécies desabrocham pela manhã e murcham pela noite, mas algumas espécies florescem pela noite.

    Existe mais de 60 mil cultivares registrados.

    Culinária: Tanto as flores, folhas jovens e tubérculos de algumas espécies são comestíveis, são conhecidas como agulhas douradas.

    Cuidados: O ideal é que elas recebam no mínimo 6 horas de sol direto por dia. As de flores mais escuras preferem sombras parciais nos horários mais quentes do dia. O solo deve ser leve, rico em matéria orgânica e estar sempre ligeiramente úmido.

    Manutenção: É uma planta muito cultivada em jardins públicos, pois não dá muita manutenção.

    Adubo: Utilizar 5 kg de adubo orgânico e 30g de adubo químico por m² durante o inverno.

    florzinha

    Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

    OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.


    Dracaena Fragans Massangeana

    Nomes Populares: Coqueiro-de-Vênus, Dracena-de-Vênus, Pau-d’água

    Família: Liláceas

    Origem: África

    Arbusto de crescimento lento, se cultivado diretamente no solo pode atingir 6 metros de altura.

    Folhas: Possuem uma faixa amarela no centro chegam a ter 1 metro de comprimento e 10 cm de largura.

    Flores: Tem flores muito perfumadas que ficam fechadas durante o dia, ao entardecer começam abrir exalando um perfume intenso.

    O nome específico “fragrans” significa fragrância (perfume)

    Propagação: Por estaquia, corte pedaços da cana e coloquem em areia úmida ou até mesmo em copos com água até que apareçam brotos e raízes, deixe durante este período na sombra mas em local tenha bastante luz.

    Cuidados: Não são plantas que exigem cuidados especiais, são tolerantes a seca, podem ser plantadas a sol pleno, mas se plantadas em locais com 50% de sombra terão cores mais vistosas.

    Arbusto de crescimento lento, se cultivado diretamente no solo pode atingir 6 metros de altura.

    margaridinha

    Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

    OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.