Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Coelogyne cristata semi alba

Processo simbiótico
Natural, feito pela natureza, por sementes. No dia seguinte à fecundação, a flor se fecha e começa o intumescimento do seu ovário (localizado na parte traseira da flor). Ali, forma-se uma cápsula portadora de 300 a 500 mil sementes minúsculas.

Essa cápsula leva em média um ano para crescer e amadurecer, quando se abre, e as sementes são espalhadas pelo vento. Somente germinarão as sementes cujos embriões forem atacados por um fungo chamado micoriza, que produz alimento e açúcares para as pequenas plantas que brotarem. Elas também deverão receber condições ideais de luminosidade, calor e umidade no local onde vão vegetar. Lembramos que a cultura por sementes permite o aparecimento de plantas diferentes, não só tecnicamente, como de coloridos. Cada semente, muito embora tenha os mesmos genes, é um indivíduo diferente, produzindo também plantas diferentes.

Processo assimbiótico
Em laboratório, por sementes. Foi o norte-americano Lewis Knudsos quem descobriu a cultura assimbiótica (em 1922).
Produziu em laboratório, com uma simples fórmula, os mesmos efeitos que o fungo causa nas sementes, provocando sua germinação.

Processo merismátic0 (divisão celular)
Ele foi criado em 1960, por Jorge Morel, fisiologista vegetal francês. É um processo complexo, de difícil execução. Aconselha-se que seja feito por pessoas que já tenham experiência laboratorial.

Nas orquídeas, o tecido vegetal diferenciado, cujas células multiplicam-se de forma mais rápida, está localizado no interior das gemas, ou seja, numa pequena bolinha central de mais ou menos um milímetro, protegida por sucessivas camadas de pequeninas folhas. Esses meristemas também podem ser localizados e retirados de hastes florais e raízes de plantas em alguns gêneros.

É aconselhável usar um microscópio para fazer o trabalho de desfolhar um broto, que deve ter um ou dois centímetros de tamanho.

Trabalho que deve ser executado numa capela ou caixa de semeaduras. Os laboratórios usam a capela fluxolaminar com aparelho de ventilação estéril, obtendo assim resultados livres de contaminação.

Ao seccionar um broto, cuidado para não quebrar sua base que é muito frágil. O serviço de desfolha do broto deve ser feio com lupas ou microscópio. A pequena bolinha verde, ou núcleo, será cuidadosamente colocada dentro de um frasco com meio de cultura aquoso. Esses vidros precisam ser constantemente agitados até se formar um protocórmio (calo vegetal). Os protocórmios são facilmente divisíveis, com facas bem afiadas e esterilizadas, em quatro partes. Fazendo-se assim divisões em múltiplos de quatro (4,16,64,…). Depois de transferir esses pedaços de protocórmios para novos frascos, e continuando a trepidação, eles se recompõem formando novos protocórmios que serão novamente divisíveis. Quando se tiver a quantidade desejada de protocórmios, eles devem ser removidos para novos frascos com meio de cultura mais sólida (igual aos das sementes). Sem agitação, vão formar-se as primeiras plantas com folhas e raízes.

Como se viu, é um método de produção em série da planta-mãe. Acabaram-se, assim, as plantas únicas e raras.

Reprodução de mudas, por cortes de plantas adultas
Corta-se o rizoma com 3 ou 4 pseudobulbos, obtendo-se as mudas. É o método mais usado. Reprodução feita por estaquia, com pedaços de pseudobulbos (Dendrobiuns), ou pedaços de hastes florais (Phalaenopsis), colocados em areia grossa molhada ou fixos em placas de fibra do coco sempre úmidas.

7678

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.



Comente sobre o post