Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Rhynchostylis_gigantea

Conhecidas e apreciadas pelo vistoso cacho pendente de muitas flores densas e curvas, as espécies do gênero Rhynchostylis têm como destaque o encanto e a durabilidade da floração, que pode chegar a 60 dias. É uma planta rústica e bastante resistente.

De grande valor ornamental, são originárias da Ásia. Mas as condições climáticas brasileiras são bem favoráveis para seu cultivo, uma vez que apreciam calor e umidade. Nas regiões Norte e Nordeste, apresentam ótimo desenvolvimento, já no Sul e Sudeste, onde as temperaturas são mais baixas, podem ter crescimento lento.

As Rhychostylis são plantas que todo colecionador deveria de ter. É muito gratificante cultivá-las.

As flores possuem um diâmetro de cerca de 3 cm, enquanto a haste floral pode medir até 30 cm de comprimento e a planta alcança até 30 cm de altura.

Esse gênero possui poucas espécies. A Rhynchostylis gigantea é a mais comum e valorizada. Embora o nome sugira o contrário, é uma planta de pequeno a médio porte. Em relação a outras, suas flores são maiores e em menor quantidade, aparecendo nas cores, rósea, branca e vermelha.

rhynchostylis_coelestis

A Ryhnchostylis coeleste tem como principal característica a haste floral ereta com mais de 25 flores de tonalidade azul-violácea em cada estrutura.
Além disso, seu perfume adocicado é bastante apreciado.

Rhynchostylis retusa
Já á Rhynchostylis retusa, por ser pendente com flores menores, é pouco encontrada.

As Rhynchostylis se desenvolvem bem em locais de clima quente, com boa umidade e sombreamento mediano. Vale lembrar que ambiente úmido não é o mesmo que molhado.
O excesso de umidade pode matar os exemplares, já que propicia o surgimento de doenças.
O ideal é regar duas vezes ao dia, pela manhã e à noite, sempre molhando folhas e raízes, mas evitando o encharcamento do substrato. No inverno, a rega deve ser reduzida, no entanto, sem deixar as plantas secarem por completo para que não fiquem desidratadas.

O sombreamento também merece atenção. Se as orquídeas ficarem diretamente expostas ao sol, apresentarão aspecto amarelado e o crescimento poderá sofrer alterações. O correto é deixá-las em local de luminosidade mediana.

A melhor forma de cultivar as Rhynchoestylis é em cachepots de madeira. Em relação ao substrato, o esfagno é muito utilizado já que mantém a umidade. Os exemplares devem ser manuseados com cuidado, uma vez que suas raízes são bastante frágeis.
Quando o cachepot se torna pequeno, é preciso transferi-la para um maior. O replantio deve ser feito a partir da emissão de novas raízes. É possível percebê-las através das pontinhas verdes nas extremidades das raízes já existentes. Quando elas começarem a surgir é hora de replantar.

A adubação deve ser feita com NPK 20.20.20 pulverizada por toda a planta, a cada 15 dias para um desenvolvimento saudável. Inseticidas ou fungicidas podem ser aplicados em períodos mais úmidos. No entanto, um especialista deverá ser consultado.

gats

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.



One Response

  1. Sonya, boa-noite

    Desejo parabenizá-la pelas ótimas informações que você dá sobre plantas. São muito úteis e já indiquei você para muitos amigos. Eu queria saber como faço para desenvolver a minha Dendrobium agregatum. Ganhei uma muda bastante pequena há uns 07 meses e até hoje não saiu uma folha sequer. Seu substrato é casca de coco, pedrinhas e carvão. Uma vez por mês uso 10-10-10 e farinha de osso. Volto a adubar com o NPK um mês depois. Rego uma a duas vezes por semana. Deixo-a na sombra.O que há de errado?

Comente sobre o post