Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




http://www.cantodasflores.compartilhandonaweb.com.br/imagens/flores/violeta01.jpg

Quando falamos de violetas (violetas-africanas ou violetas-do-cabo) não podemos deixar de nos referir às Saintpáulias, tão apreciadas pelas suas flores abundantes e coloridas, que são talvez as plantas de interior mais conhecidas. Das mais de vinte espécies integradas neste gênero, apenas algumas interessam ao jardineiro de plantas de interior, que provavelmente prefere as variedades e híbridos mais modernos e espetaculares.

Todas as saintpáulias têm sistemas radiculares curtos, quer um pequeno caule rematado por uma roseta de folhas, quer um caule rastejante e ramificado com folhas alternas. As folhas da espécie são geralmente redondas ou ovadas, levemente tomentosas, de um verde médio na parte superior, verde-claro na inferior. Os pecíolos são carnudos e verde-claros. Nas plantas adultas, os pedúnculos nascem de todas as axilas das folhas. Cada pedúnculo ramifica-se junto à extremidade, surgindo de cada ramo um pequeno cálice verde-claro que suporta a corola, com cinco lobos. A corola, tubular, não excede em comprimento 0,5 cm e os lobos abrem-se tanto que mais parecem cinco pétalas separadas. Embora as flores da espécie original sejam singelas, têm apenas uma camada de pétalas, algumas das variedades e alguns dos híbridos possuem numerosas camadas de pétalas. As flores apresentam cores variadas, desde o branco a vários tons de azul, roxo, cor-de-rosa e vermelho. No centro da flor notam-se bem umas minúsculas e douradas bolsas de pólen – os estames. Cultivadas em condições apropriadas, estas plantas continuarão a crescer e a florir durante o ano. No entanto, o tamanho das flores e das folhas nem sempre é previsível, já que o aspecto das variedades e dos híbridos depende frequentemente das condições em que os mesmos são cultivados.

Espécies aconselháveis:
S.’Ballet’
. Os híbridos têm folhas de um verde médio a escuro, ovais, com margens dentadas. As flores, brancas, cor-de-rosa, roxas, azuis ou azuis com margens brancas, têm cinco lobos ou são multilobadas. A margem dos lobos é ondulada. O tamanho das flores e das folhas varia, mas a planta, em forma de roseta, atinge 30 cm de diâmetro.

S.’Bicentennial Trail’. É uma grande trepadeira com folhas lanceoladas de um verde médio e flores cor-de-rosa, multilobadas. Os caules desta espécie enraízam na mistura de envasar a partir dos nós das folhas.

S.’Confusa’. É uma espécie em forma de roseta com folhas quase redondas, tomentosas, de margens ligeiramente dentadas, de 4 cm de comprimento por 3 cm de largura, inseridas na extremidade de pecíolos de 7,5 cm de comprimento. Cada pedúnculo atinge 10 cm de comprimento e suporta até quatro flores de um azul-violeta e de 2,5 – 3 cm de diâmetro.

S.’Eternal Snow‘. Tem folhas de um verde médio e flores brancas, grandes e multilobadas. Esta planta, em forma de uma roseta, cresce até atingir 38 cm de diâmetro.

S.’Grandifolia. Tem folhas consideravelmente mais longas e estreitas do que as outras espécies aconselháveis em forma de roseta. As folhas são ovais, com margens dentadas, atingem 10 cm de comprimento por 9 cm de largura e inserem-se na extremidade de pecíolos de 10 cm de comprimento. Os pedúnculos medem cerca de 5,5 cm de comprimento e suportam até vinte flores de um roxo-escuro e de 2 cm de largura.

S.’Grotei’. É uma espécie progenitora de muitas variedades de saintpáulias rastejantes. Os seus caules, ramificados e trepadores, podem atingir 20 cm de comprimento. As folhas, quase redondas, com um diâmetro máximo de 7,5 cm, têm as margens ligeiramente serrilhadas e são revestidas por uns pêlos escuros e aveludados. Os pecíolos chegam a medir 25 cm de comprimento. Os pedúnculos, de cerca de 18 cm de comprimento, suportam duas a quatro flores de 2,5 cm de largura, cuja cor varia do azul-violeta nas margens até ao violeta-escuro no centro.

S.’Ionantha‘. É uma espécie em forma de roseta com folhas ovais, ligeiramente dentadas e tomentosas, que chegam a atingir 7,5 cm de comprimento por 4 cm de largura em pecíolos de 6,5 cm de comprimento. As páginas inferiores tingem-se por vezes de avermelhado. Os pedúnculos, com um comprimento até 12,5 cm suportam duas a oito flores violetas de 2,5 cm de diâmetro.

S.’Little Delight’. É um híbrido em forma de roseta, cujo diâmetro raramente excede 15 cm. As folhas, de um verde médio, são mais ou menos lanceoladas. As flores são multilobadas e brancas com margens roxas.

S.’Midget Bon Bon’. Tem folhas variegadas verdes e brancas. As flores pentalobadas, são cor-de-rosa-pálido. A planta adulta não mede mais de 15 cm de diâmetro.

S.’Opimara’. Os seus híbridos possuem rosetas de um verde médio, folhas arredondadas e margens levemente dentadas. As flores, brancas, vermelhas ou azuis, têm cinco lobos, por vezes com margens onduladas.

S.’Pink N Ink’. É um híbrido em forma de roseta cujo diâmetro atinge 25 cm, com folhas arredondadas de um verde médio. As flores, estreladas, multilobadas, são cor-de-rosa manchadas de roxo.

S.’Pixie Trail’. É uma planta miniatura e rastejante. Tem folhas cordiformes de um verde médio e flores cor-de-rosa pentalobadas. Contrariamente às plantas rastejantes de maior envergadura, que geralmente se colocam em cestos suspensos, esta pequena planta cultiva-se melhor num vaso pouco fundo.

S.’Rhapsodie’. Os seus híbridos (muitos dos quais conhecidos como híbridos da S.’Melodie’), têm folhas verde-escuras, arredondadas e de margens dentadas. As flores, pentalobadas ou multilobadas, são cor-de-rosa, vermelhas ou azuis. Estas plantas medem até 30 cm de diâmetro.

S.’Schumensis. É uma planta em forma de roseta, progenitora de muitas saintpáulias miniatura não rastejantes. É uma saintpáulia de pequeno porte, de folhas redondas, tomentosas, com margens dentadas, de 3 cm de diâmetro, inseridas na extremidade de pecíolos de 5 cm de comprimento. Os pedúnculos medem também 5 cm e suportam um máximo de cinco flores de 2,5 cm de diâmetro, cor de malva-claro, manchadas de violeta nos lobos superiores.

S.’Tommie Lou’. Os híbridos desta espécie são extremamente apreciados e têm folhas variegadas, ovais, levemente dentadas, com centros verde-escuros, manchas esbranquiçadas ou cremes e margens creme ou de um branco puro. As flores, multilobadas ou pentalobadas, apresentam qualquer das cores habituais das saintpáulias. A roseta pode atingir globalmente 40 cm de diâmetro.

S.’Violet Trail‘. É uma planta rastejante de grandes dimensões e de folhas cordiformes, verde-escuras na página superior e vermelhas na inferior. As flores deste híbrido, brilhantes e pentalobadas, são bastante invulgares por serem estreladas, com os lobos todos do mesmo tamanho.

Cuidados:
Luz
– Durante todo o ano exponha estas plantas a luz forte, mas não a sol direto. Duas ou três horas diárias de sol velado beneficiarão as saintpáulias. Estas se desenvolvem bem sob luz artificial. Se for possível utilizar luz fluorescente, coloque as lâmpadas 30 cm acima das plantas e acenda-as durante doze horas por dia. Se expostas a luz adequada e satisfeitas outras condições necessárias, estas plantas florirão continuamente.

Temperatura – Estas plantas desenvolvem-se bem a temperaturas de 18-24ºC. Uma flutuação de 3º para além destes níveis pode eventualmente interromper o crescimento. É indispensável um elevado grau de umidade; coloque os vasos em tabuleiros com seixos molhados e pendure pratos com água sob os cestos suspensos.

Rega – Regue moderadamente estas plantas, o suficiente para deixar úmida a mistura a cada rega, mas deixando secar a camada superior de 1cm antes de regar de novo. Se a temperatura ambiente descer abaixo de 16ºC por mais de um dia ou dois, reduza a frequência das regas, deixando secar a camada superior de 2,5 cm antes de voltar a regar. Um excesso de rega em qualquer altura pode provocar apodrecimento das raízes das saintpáulias.

Adubação – Em cada rega aplique às saintpáulias um adubo líquido com um quarto da concentração habitual composto por partes iguais de azoto, fósforo e potássio.

Envasamento e reenvasamento - Use uma mistura composta por partes iguais de turfa de musgo, perlite e vermiculite e acrescente três ou quatro colheres de sopa de pó de dolomite para cada quatro medidas (uma medida = 2dl) da mistura. Plante as saintpáulias em forma de roseta em vasos ou outros recipientes baixos. Para calcular o tamanho conveniente do recipiente, meça o diâmetro da roseta e escolha um recipiente com o diâmetro de cerca de um terço do da planta. Não deve ser necessário um vaso de dimensões superiores a 12-16 cm. As variedades miniatura e as plantas rastejantes jovens podem também ser cultivadas em vasos, mas as rastejantes adultas devem ser cultivadas em cestos suspensos, onde os caules dispõem de mais espaço para enraizar. As saintpáulias dão-se melhor quando um pouco apertadas nos vasos. Reenvase estas plantas em recipientes um pouco maiores só dois meses depois das raízes terem enchido os recipientes em que se encontram. Pode realizar esta operação em qualquer estação desde que a temperatura esteja acima dos 16ºC. Ao reenvasar, é aconselhável retirar o circulo exterior das folhas se os pecíolos tiverem sido danificados por terem estado comprimidos contra a borda do vaso. Retire cada pecíolo com um puxão rápido para o lado; não os corte. É importante retirar o pecíolo todo, pois qualquer coto que fique pode apodrecer e contagiar o caule principal,

Propagação – O método mais indicado para propagar as saintpáulias consiste em enraizar individualmente as folhas que produzirão novas plantas. Retire uma folha da roseta, da segunda ou terceira carreira a contar de fora (ou retire uma folha junto à base do caule, caso se trate de uma planta rastejante). Com uma faca afiada, corte o pecíolo, reduzindo-lhe o comprimento a 2,5-4 cm, e enterre-o a 1,5-2 cm de profundidade num vaso de 6-8cm contendo mistura úmida. Introduza o conjunto num saco de plástico ou numa mini-estufa e exponha-o a sol direto velado a uma temperatura de 18-24ºC. Não deverá ser necessário regar durante sete a dez semanas, até emergir à superfície da mistura um maciço de pequenas folhas que nascem da base do pecíolo. No decorrer das quatro semanas seguintes, destape progressivamente as novas plantas até as retirar completamente da atmosfera protegida. Entretanto, regue-as apenas o necessário para evitar que a mistura seque e aplique-lhes semanalmente um vulgar adubo líquido com um oitavo da concentração habitual. Quando as novas plantas atingirem uma altura de 4-5 cm, retire-as com cuidado da folha-mãe e coloque-as em vasos individuais de 6-8cm. A partir de então, trate-as como plantas adultas. As folhas das saintpáulias podem também ser enraizadas em água.

Observações especiais- As saintpáulias são extremamente susceptíveis de serem atacadas por ácaros, cochonilhas e cochonilhas das raízes. Para evitar a infestação de um conjunto destas plantas, isole sempre cada planta recentemente adquirida durante pelo menos um mês. Neste espaço de tempo poderá tratar convenientemente qualquer praga que infeste a nova planta.

13

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.



Comente sobre o post