Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




65258_422770191135040_1680575573_n

A delicadeza das folhas bem desenhadas da renda-portuguesa destaca essa planta como a rainha das samambaias, preferida por quem ama a natureza.
Samambaias são plantas típicas dos trópicos e existem em grandes quantidades e variedades no Brasil. São plantas de clima quente e ambientes úmidos.

Na natureza elas crescem em ambientes sombreados, nos solos ricos com abundancia de matéria orgânica ou, nas bainhas das folhas dos coqueiros que imitam o xaxim.
Porém, podem perfeitamente ser adaptadas para serem cultivadas em casa, desde que se os tratos culturais sejam semelhantes aos de seu ambiente natural.
A renda portuguesa é uma planta herbácea rizomatosa, de aparência delicada, que se desenvolvem por longos rizomas pilosos na cor marrom escuro, de onde partem as folhas compostas.

Propagação:
- A propagação da renda portuguesa é feita através de estaquia do rizoma.
- Selecionar rizomas saudáveis que apresentam pelo menos duas gemas, ou “borbulhas”, pois são delas que sairão as novas mudas.
- Cortar com aproximadamente dez a quinze centímetros de comprimento.
- Fazer a desfolha do rizoma, deixando apenas as quatro folhas mais novas.

Para plantá-la em Vasos:
- Colocar uma camada de cascalho ou brita de aproximadamente quatro centímetros de altura no fundo do vaso, para uma boa drenagem de água.
- Colocar o substrato até a metade do vaso.
- Em seguida colocar o rizoma no centro do vaso e completar com substrato, apertando-o para fixar bem o rizoma.
- O rizoma deverá ser enterrado no substrato, até a sua metade.
- Colocar o vaso em local sombreado, regar sem encharcar e manter o substrato sempre levemente umedecido.

Observações:
- Os rizomas na época da preparação das mudas, devem ser plantados em vasos pequenos, pois a renda portuguesa é lenta no crescimento. Somente depois que ela começar o seu desenvolvimento poderá ser transplantada para vasos maiores.
- O processo de transplante para outros recipientes maiores, deverão obedecer as mesmas características acima: cascalho no fundo do vaso, etc.

Modo de cultivo:
- A renda portuguesa se desenvolve perfeitamente em ambientes com boa iluminação, porém sem a incidência direta do sol.
- Podem ser cultivadas em vasos colocados à meia sombra , embaixo de árvores, ou dentro de casa, próximo a janelas, onde há maior incidência de claridade.

Recipientes:
- Os vasos mais indicados para a renda portuguesa são aqueles que se apresentam com as seguintes características: profundidade rasa, com a boca enlanguescida, onde o espaço se torna maior, visto que os rizomas da desta planta se desenvolvem quase que exclusivamente, na superfície do substrato do recipiente onde é plantada.

Substrato:
- O substrato para o seu cultivo deverá ser rico em matéria orgânica.
- Pode ser uma mistura bem homogeneizada de fibra de coco,casca de pinus e esterco animal bem curtido, na proporção de 1:1:1.

Adubação:
- A aplicação de adubo foliar duas vezes por mês.
- Adubação química NPK 10-10-10. Misturar uma colher de sopa, rasa, de adubo granulado na formulação indicada, em 2 litros de água, agitar até dissolver por completo os grânulos, em seguida colocar cerca de 1 xícara de chá desta mistura, em cada vasinho.
- Na medida em que a planta for crescendo aumente a dosagem gradativamente, até chegar a um copo americano.
- A adubação química deverá ser feita a cada quatro meses.

flower66

Obrigada pela sua visita. Se você tem sugestões ou dicas sobre o assunto, coloque aí nos comentários, eles podem acabar virando temas para novos posts.

OBS: Este site não trabalha com vendas de plantas,sementes e afins, apenas são postados artigos com informações sobre como cultivar as plantas. Você pode adquirir sua planta desejada em qualquer bom Garden Center de sua região.



2 Responses

  1. linda planta

  2. #2
    Leila Soares Guimarães 
    Saturday, 2. February 2013

    Muito obrigada pela orientação, eu tenho uma Renda Portuguesa e ela está linda como a da foto. Adoro seu blog, 1.000.000 de beijos no seu coração.

Comente sobre o post