2018 January 03 - PlantaSonya - O seu blog sobre cultivo de plantas e flores
Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Kerria japonica

A rosa-do-japão é um arbusto lenhoso, da família Rosaceae e originária as Ásia – China e Japão. É também é conhecida como roseira-do-japão, kerria, queria e rosa-japonesa.

Quem vê a rosa-do-japão pela primeira vez se encanta pela vivacidade da planta. A bela Kerria japonica é um arbusto lenhoso, decíduo, de clima temperado e que se apresenta repleto de flores na maioria das vezes.

Sua ramagem arqueada, ramificada e abundante cria um denso arbusto, mais largo do que alto, com cerca de 2,5 m de largura por 1,2 m de altura.

As flores são amarelas e podem ser simples ou dobradas, de acordo com a cultivar.

kerria-japonica

Na maioria das vezes suas folhas são verdes, ovais, alternas, simples e com as margens serrilhadas, Ocorre ainda uma variedade de folhas variegadas.

É uma planta de clima temperado e muito florífero. A ramagem arqueada, ramificada e abundante cria um arbusto denso, mais largo do que alto, com cerca de 2,5 m de largura por 1,2 m de altura.

O florescimento principal ocorre na primavera, mas se logo após esta floração for efetuada uma boa poda, é possível obter uma segunda floração no outono.

Podemos valorizar a rosa-do-japão, no paisagismo, com plantios isolados, em gramados bem cuidados. Ela apresenta crescimento rápido, floração precoce e seu estilo é muito elegante e romântico.

Kerria_japonica01

Mesmo no inverno, com a queda das folhas a rosa-do-japão oferece uma beleza peculiar e um tanto dramática, própria das plantas caducas. Os ramos pendentes são ideais para as áreas de aclive, como no entorno de escadarias.

Os renques informais junto a muros ou cercas também ficam excepcionais com esta espécie.

Seu cultivo deve ser sob sol pleno ou meia sombra, num solo fértil, profundo, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente.

As flores tendem a durar mais nas plantas semi-sombreadas, mas em compensação a floração não é tão abundante quanto nos espécimes sob sol pleno. Aprecia o clima subtropical e temperado, mas deve ser protegida de ventos fortes.

Após sua plena implantação, podemos reduzir as regas apenas aos períodos secos. Para manter a forma e o vigor da rosa-do-japão há que se efetuar uma poda especial, que consiste em remover anualmente no inverno, de forma rente ao solo, um ramo de cada três.

Efetue também uma desponta e uma poda de limpeza no inverno, eliminando os ramos fracos, secos e doentes.

kerria-japonica11

Sua multiplicação é feita facilmente por estaquia das raízes jovens postas a enraizar no verão. É possível também separar as brotações naturais que surgem entorno da planta mãe e fazer mergulhia e alporques.

A bela espécie aprecia o clima subtropical e temperado, mas deve ser protegida de ventos fortes.

Alerta:
A Kerria japonica possui espinhos. Use luvas ao manusear os ramos ou efetuar podas.

flores-e-chuva

Impatiens hawkeri_55

O beijo-pintado é originário da África e pertence à família Balsaminacee, e ao mesmo gênero do beijo-turco (Impatiens walleriana) e do beijo-de-frade (Impatiens balsamina), e como estas, ele também é uma planta de folhas macias e caule suculento.

Difere destas principalmente por apresentar caule e ramos avermelhados e escuros na espécie típica. Ainda assim, ocorrem variedades de beijo-pintado com folhas verde-claras ou variegadas de amarelo, muito vistosas.

As flores são grandes e podem ser de cores diversas, como o rosa, o salmão, o vermelho, o violeta, o branco, etc, com destaque para os tons pastéis.

Impatiens hawkeri3

É muito florífera e rústica, adequando-se ao plantio em maciços, bordaduras e canteiros, assim como apresenta efeito muito decorativo em vasos, jardineiras e cestas suspensas.

É uma planta bastante rústica, exige pouca manutenção, para obter maior ramificação fazer o “beliscamento” das pontas. Aprecia solo rico em matéria orgânica, com boa drenagem. Sugestão de mistura: 1 parte de terra comum de jardim, 2 partes de composto orgânico e 1 parte de terra vegetal.

As adubações devem ser periódicas e o replantio anual, pois com o tempo perde a beleza.

Aplicar por ocasião do preparo do canteiro, NPK, fórmula 04-14-08, cerca de 5 colheres de sopa por metro quadrado, depois de 2 a 3 vezes por ano 1 colher de sopa ao redor de cada planta, longe do caule.

Impatiens hawkeri

Seu cultivo deve ser sob luz difusa ou meia-sombra, em solo fértil, bem drenável e enriquecido com matéria orgânica, com regas freqüentes.

Não tolera ventos, períodos de seca ou de sol e calor muito intenso, no entanto as variedades avermelhadas e escuras são um pouco mais resistentes. Sua multiplicação é feita por sementes e estaquia.

1)rio correndo