2017 November 26 - PlantaSonya - O seu blog sobre cultivo de plantas e flores
Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Spathoglottis-unguiculata

O gênero Spathoglottis inclui cerca de 40 espécies, das quais a orquídea-grapete é uma das mais conhecidas.

Nativa de vários países no sudeste asiático e sudoeste do Oceano Pacífico, ela é famosa por seu perfume, que lembra o cheiro de uva, daí seu nome popular. Ela faz grandes touceiras em encostas rochosas e clareiras de florestas, lugares onde há alta umidade e incidência direta dos raios de sol durante quase o ano todo.

Os numerosos botões surgem numa haste que pode alcançar 1 m de altura, e se abrem em sequência, uns cinco ou seis ao mesmo tempo, em qualquer época do ano, despontando acima da folhagem belas inflorescências racemosas, densas e eretas, que vão abrindo as flores da base em direção ao ápice.

As flores são roxas, com o labelo franjado e amarelo, e possuem cerca de 4 cm de diâmetro, além de um delicioso aroma que remete a uvas. A floração se estende por 30 a 45 dias. Se polinizadas produzem frutos alongados e verdes, com nervuras longitudinais marcadas e numerosas sementes diminutas.

Por ser uma orquídea terrestre, não precisará de nenhum substrato especial para plantá-la, somente terra e húmus de minhoca. Ela também pode ser cultivada diretamente no chão, numa mistura de terra, areia e composto orgânico, adicionando farinha de osso à terra uma vez por mês.

Spathoglottis-unguiculata-03

Se preferir fazer a adubação das folhas, dilua 1 colher (café) de NPK 20-20-20 em 1 litro de água e borrife a folhagem uma vez por semana, de preferência de manhãzinha ou no final da tarde, quando o sol não está tão forte. Suspenda a adubação quando a planta estiver nos meses de dormência – nesse período, ela não tem atividade nenhuma.

Como adora sol e tem folhas grandes e plissadas – bem diferentes das folhas de outros gêneros mais populares de orquídeas –, essa espécie costuma ser vendida como planta comum de jardim, sem a pompa toda com que são comercializadas as Cattleya, por exemplo.

Além dessas particularidades, a orquídea-grapete também gosta de água: regue-a dia sim, dia não, mas não deixe que a água fique parada em suas raízes (portanto, nada de pratinho embaixo do vaso).

Mantenha-a úmida especialmente durante os meses em que estiver florida, diminuindo as regas quando notar que a floração acabou e a planta entrou em dormência, normalmente durante o inverno brasileiro.

Uma boa ideia é combinar esta orquídea com plantas de flores amarelas, para um belo efeito de cores complementares. Também pode ser plantada em vasos ou jardineiras, e assim adornar pátios e varandas.

Se conduzida em interiores há que se ter cuidado de colocá-la em local bem ventilado e iluminado, com sombreamento de até 50%. As orquídeas-grapete que são bem cuidadas e resguardadas do frio, podem florescer sucessivamente.

Spathoglottis-unguiculata

Ela faz grandes touceiras em encostas rochosas e clareiras de florestas, lugares onde há alta umidade e incidência direta dos raios de sol durante quase o ano todo. Os numerosos botões surgem numa haste que pode alcançar 1 m de altura, e se abrem em sequência, uns cinco ou seis ao mesmo tempo, ao longo do ano todo, com mais frequência na primavera e no verão.

Por ser uma orquídea terrestre, seu cultivo é o mesmo da orquídea-bambu (Arundina bambusifolia). Isso significa que você não precisará de nenhum substrato especial para plantá-la, somente terra e húmus de minhoca.

Ela também pode ser cultivada diretamente no chão, numa mistura de terra, areia e composto orgânico, adicionando farinha de osso à terra uma vez por mês.

Se preferir fazer a adubação das folhas, dilua 1 colher (café) de NPK 20-20-20 em 1 litro de água e borrife a folhagem uma vez por semana, de preferência de manhãzinha ou no final da tarde, quando o sol não está tão forte.

Suspenda a adubação quando a planta estiver nos meses de dormência – nesse período, ela não tem atividade nenhuma.

Spathoglottis_Grapette

Como preparar o solo, a regas e a adubação da orquídea-grapete
Como adora sol e tem folhas grandes e plissadas – bem diferentes das folhas de outros gêneros mais populares de orquídeas –, essa espécie costuma ser vendida como planta comum de jardim, sem a pompa toda com que são comercializadas as Cattleya, por exemplo.

Além dessas particularidades, a orquídea-grapete também gosta de água: regue-a dia sim, dia não, mas não deixe que a água fique parada em suas raízes (portanto, nada de pratinho embaixo do vaso).

Spathoglottis

Mantenha-a úmida, sem encharques especialmente durante os meses em que estiver florida, diminuindo as regas quando notar que a floração acabou e a planta entrou em dormência, normalmente durante o inverno brasileiro.

Evite regar em demasiado e não utilize pratos sob o vaso com a planta. Prefere clima quente e úmido, e não tolera o frio intenso. O ideal é cultivá-la em clima com médias superiores a 20°C.

Sua multiplicação é feita por divisão das touceiras, de forma que cada nova muda seja uma planta completa, com folhas e raízes sadias, além de uma guia de crescimento (jovem pseudobulbo em formação). Também pode ser propagada por sementes ou meristema.

Folhas

Campomanesia_pubescens

A gabirobeira é um arbusto lenhoso, ornamental nativo de áreas de cerrado da América do Sul. Pertence à família Myrtaceae

Seu tronco é curto, tortuoso, com copa bastante ramificada e ramos cilíndricos e pubescentes. As folhas são opostas, coriáceas, simples, verdes e pubescentes.

A floração ocorre na primavera, despontando flores grandes axilares, hermafroditas e brancas, com um denso tufo de estames longos no centro.

guabiroba-frutos

Os frutos surgem no verão, e são bagas semelhantes a uma pequena goiaba, globosos, verdes a amarelos, com polpa doce e delicada e casca fina. As sementes são de cor creme, achatadas e com formato de ferradura.

Com a crescente busca por jardins mais sustentáveis e ecológicos, a gabiroba vem ganhando lugar de destaque no paisagismo brasileiro, pois além de ser frutífero, ele ainda atrai a fauna silvestre e apresenta uma floração espetacular.

É ideal para jardins onde a economia de água é importante, pois é bastante resistente à estiagem. Utilize como arbusto isolado ou em grupos, formando renques ou conjuntos mistos e informais em canteiros bem adubados e drenados.

Com crescimento moderado. apresenta baixa manutenção, que restringe-se a podas de formação, adubações anuais e remoção de ramos secos e mal formados. Também pode ser plantado em vasos. Seu uso deve ser ampliado para projetos de recuperação ambiental.

Campomanesia pubescens

Seu cultivo deve ser sob sol pleno, num solo fértil, drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado nos dois primeiros anos após o plantio. A gabiroba é muito resistente à estiagem, depois de bem estabelecida.

Não é tolerante a terrenos alagadiços ou sujeitos a encharcamentos. Ela pode vegetar em solos pobres, mas produzirá mais frutos, e com melhor qualidade, em condições de cultivo, com adubação e irrigação.

Tolerante ao frio ou geadas e sua multiplicação é feita por sementes frescas recém colhidas de frutos maduros. A germinação ocorre em cerca de 15 a 30 dias e o desenvolvimento inicial é lento.

banquinho

Alcantarea_Imperialis_

A bromélia-imperial é uma planta rupícola, de grandes proporções e elevado valor ornamental.  É originária da América do Sul – Brasil e pertence à família Bromeliaceae.

É uma planta acaule, com folhas longas e largas, coriáceas, com superfície cerosa, dispostas em roseta e formando um “vaso” no centro da planta, onde acumula água e nutrientes.

Pode atingir cerca de 1,5 m de diâmetro quando adulta. Suas raízes são fortes, fibrosas e se prestam não somente para nutrição da planta, mas principalmente para sua forte fixação sobre o substrato. Essa característica permite que esta bromélia se fixe em paredões rochosos verticais.

De crescimento moderado, ela pode levar 10 anos para atingir o porte adulto e florescer. Sua inflorescência é do tipo espiga e pode medir 3,5 m de altura.

Alcantarea_imperialis_

A planta apresenta brácteas de cor avermelhada e flores delicadas, com estames longos, e cor branco-creme ou amarelas, muito atrativas para abelhas e beija-flores.

Ocorrem variedades de folhagem vermelha, arroxeada e verde, além de tonalidades intermediárias dessas cores. Após a floração, assim como ocorre com outras bromélias, a planta morre. Mas geralmente elas deixam brotos de novas bromélias na base.

É uma planta espetacular e está cada vez mais popular no paisagismo tropical e contemporâneo. Sua forma escultural, seu porte e cores vibrantes a tornam um elemento de impacto no jardim, seja utilizada isolada ou em grupos.

A beleza tropical da planta se destaca entre as rochas e em conjunto com outras espécies de bromélias. Também pode ser plantada em vasos. Esta espécie está ameaçada de extinção, jamais compre mudas que foram retiradas do ambiente natural.

Alcantarea_Imperialis_

Seu cultivo deve ser sob sol pleno ou meia sombra, em substrato leve e bem drenável, enriquecido com matéria orgânica e irrigado regularmente.

Sendo uma planta  tipicamente tropical, a bromélia-imperial aprecia a umidade e o calor, mas, por ser originária de regiões serranas do Rio de Janeiro, é capaz de tolerar geadas leves.

É uma planta rústica, resistente ao vento e à maioria das pragas e doenças. Sua multiplicação é feita por e por separação das mudas formadas entorno da planta mãe.

pingosnas folhas

coroa-de-frde

Espécie típica da caatinga do Nordeste brasileiro, esse cacto é resistente a solos áridos e arenosos. O cacto coroa-de-frade é pequeno e arredondado, tem um aspecto interessante.

As flores formam-se na parte de superior da planta, sob o tronco verde, e são levemente róseas. Normalmente aparecem no verão. São formadas no chapéu vermelho e cilíndrico sobre o tronco verde.

Possui espinhos pontiagudos nas bordas dos gomos que formam o tronco. É uma planta pouco exigente quanto ao solo e à umidade.

Os frutos, quando caem, deixam um buraco, que depois fecha naturalmente. São consumidos por alguns animais, caso dos lagartos.

coroa-de-frade1
Também é adequando para vasos como planta isolada ou em composição com outras cactáceas e suculentas em terrário ou diretamente no jardim. Deve ser cultivado a pleno sol, em substrato composto de areia e terra de jardim.

Essa espécie é mais sensível ao frio. Sua polinização acontece através de sementes diminutas, já que não emite brotações.

As regas ficam por conta das chuvas que, caso estejam em excesso, podemos protegê-lo até o tempo melhorar. Sua multiplicação é feita por sementes.

chuva-1