2017 February 21 - PlantaSonya - O seu blog sobre cultivo de plantas e flores
Subscribe to PlantaSonya Subscribe to PlantaSonya's comments




Hera-de-canteiro-Glechoma-hederacea-1-2

A hera-de-canteiro é também conhecida por nomes tais como, erva-de-são-joão e hera-terrestre é uma planta herbácea, com característica rasteira, de florescimento e folhagem ornamentais.

Suas folhas produzem um aroma e apresentam formação arredondada a reniformes, ou seja, com formato de rim, apresentando coloração arroxeada ou esverdeada, com pontas crenadas, e um pecíolo comprido.

É uma planta que pertence à família Lamiaceae e origina-se da Europa e Ásia.

Ainda há uma forma variada da planta, que possui as folhas margeadas de branco, sendo bastante comum para cultivar. Os ramos das plantas são longos, quase em formato quadrangular e apresenta áreas cobertas por uma lanugem fina. Da parte de onde provem os nós saem as raízes e os pecíolos foliares, fazendo com que a planta se espalhe pela superfície do lugar.

Essa planta apresenta flores bastante bonitas e delicadas, geralmente em formato tubular e axilar, com coloração que pode variar entre o roxo e o azul. As flores aparecem sempre na primavera.

hera-terrestre-glechoma-hederacea-1

Determinadas variedades oferecem uma folhagem mais de aparência decorativa, enquanto as demais se sobressaem pelo florescimento em excesso.

Em razão de serem bastante variadas, as heras-de-canteiro são muito utilizadas no paisagístico. Elas servem tanto para cobrir os canteiros ou até mesmo os maciços que estão à meia sombra, para se transformar em verdadeiros tapetes, especialmente embaixo de arbustos e das copas das árvores.

Em lugares com temperatura mais baixa, ela pode ganhar um pouco mais de luz solar, sendo uma excelente opção para ser usada em jardins rochosos, desde que tenham um pouco de umidade.

Quando a mesma é plantada diretamente em vasos, cestas pendentes ou jardineiras suspensas é capaz de formar charmosas e longas cabeleiras. Atuando tanto como pano de fundo para outras espécies de flores, tais como a boca-de-leão, o amor-perfeito, dentre outras.

Glechoma_hederacea_2

Entretanto, seu crescimento deve ser sempre muito bem supervisionado, já que a mesma pode fugir do controle, chegando a áreas como jardins e dentro da residência.

Apesar de ser bastante vistosa, ela é uma planta delicada e frágil, portanto, não suporta ser pisoteada. Além disso, durante o plantio é preciso que seja manuseada com bastante cuidado, bem como durante a etapa da adubação e do replantio.

Para que ocorra a renovação de suas folhagens é necessário que se roce um pouco os arbustos, usando para isso lâminas bem afiadas, senão os galhos não são removidos de acordo.

Além de enfeitar os canteiros e vasos por todos os lugares, a hera terrestre é uma planta comestível, podendo ser ingerida de maneira refogada ou crua. Suas folhas proporcionam uma picante, fresca e saborosa salada.

Glechoma-hederacea-Variegata

Cultivo
A hera-de-canteiro deve sempre ser cultivada à meia sombra, num solo de grande fertilidade, bem adubado, com a drenagem adequada, e ainda enriquecido com uma grande de matéria orgânica, bem como uma rega frequente, pois sua principal exigência é um solo úmido.

É uma planta rústica não precisa de adubo, mas para garantir folhas mais saudáveis, adubar com NPK 10-10-10, seguindo orientação do fabricante. Aceita podas, o que estimula novas brotações.

Essa planta tem preferência pelo clima ameno e não suporta seu solo seco. Quando se vai fazer a aplicação de fertilizantes, é importante que não se aplique aqueles que contenham o boro em sua composição, já que o mesmo apresenta toxidade para essa espécie.

A planta não gosta também de muito calor, pois suas folhas e flores acabam murchando com grande rapidez. Sua multiplicação é mais eficaz quando feita através da estaquia dos ramos, mergulhia ou divisão das touceiras enraizadas.

Hera-de-canteiro (Glechoma hederacea L.)

Cultivo em vasos
Também é possível seu cultivo em vasos como pendente, sozinhas ou consorciadas com outras plantas de espécies diferentes, desde que tenham as mesmas necessidades de luz, substrato e umidade.

Deve-se proteger o fundo do vaso com pedrinhas ou geomanta e uma camada de areia úmida. Colocar o substrato feito de uma mistura de húmus de minhoca, composto orgânico e 50 g de adubo granulado do tipo NPK formulação 10-10-10.

Colocar parte no fundo, acomodar o torrão e preencher as laterais, firmando a muda. Regar.

Para fazer mudas da hera-de-canteiro basta retirar pedaços de ramos com até 0,25 m, sempre com entrenós visíveis, retirar as folhas que ficarão enterradas com cuidado para não danificar as gemas e colocar em perlita, areia ou casca de arroz carbonizada mantendo a umidade e em cultivo protegido.

Quando enraizar começará a emitir novas folhas, quando poderá ser transplantada para vasos ou canteiros.

janel7

campânula

A Campânula é natural da Europa e pertence à família Campanulaceae. A planta que é chamada de Flor-sininho ou então Flor-de-sino, por ter um formato de sino em suas flores, consiste em um arbusto considerado de pequeno porte que conta com aproximadamente 1 metro de altura.

A planta ainda tem uma quantidade bem numerosa de flores, que são concentradas em cachos vistosos.

Conhecida por ser resistente à luz solar, ela gosta muito da temperatura amena. Considerada uma planta flexível, ela pode crescer e viver tanto nos vasos de uma varanda, assim como em bases de árvores, compondo moitas densas e floridas.

Dicas para os cuidados especiais da Campânula
Aqui no Brasil, o cultivo da Campânula pode contar com alguns problemas por termos uma temperatura considerada muito quente, o que pode deixar a planta bastante debilitada.

Para as regiões que estão mais próximas do equador é importante colocá-la num lugar que tenha algum tipo de proteção contra o calor direto, de preferência à meia sombra e até mesmo num ambiente que tenha um aparelho de ar condicionado, aliado a uma boa luminosidade natural.

campanulas-brancas

No sul do Brasil, região que tem o clima mais parecido ao europeu, a Campânula pode até ser cultivada sem nenhum tipo de preocupação relacionada ao sol abundante.

Quando for plantá-la, lembre-se de colocar areia grossa pra melhorar a drenagem do solo, principalmente nos locais que contam com terra – o que traz alagamentos – e antes da época da floração, distribua um fertilizante orgânico pelo solo, além do NPK que é rico em fósforo, ou então farinha de osso. Tudo isso pra contribuir com a riqueza dos nutrientes pra que sua planta possa se desenvolver saudável e rápido, apresentando muitas flores.

campanulas-1

Mais uma dica é regar diariamente, principalmente nas épocas que são mais quentes e que podem até prejudicar, debilitando a planta. Mas não se esqueça de evitar o encharque do solo, isso poderá causar algum tipo de proliferação de doenças causadas por fungos.

Umedecendo sempre o solo e mantendo sempre a riqueza de nutrientes, os resultados do crescimento da planta sempre serão ótimos, e não irão apresentar nenhum tipo de problema.

barco10

Schefflera actinophylla 228

A árvore-guarda-chuva também é conhecida por outros nomes tais como: brassaia, cheflera, árvore-polvo ou cheflera-da-folha-grande. Essa árvore é classificada também em outras categorias, são elas: folhagens, árvores ornamentais, arbustos tropicais e arbustos.

Adapta-se bem ao nosso clima, o tropical, mas também gosta e pode viver bonita e sem problemas nos climas subtropical, oceânico e equatorial. Porém, não é uma planta originária do nosso país, ela tem origem na Oceania, na Indonésia, na Austrália, em Nova Guiné e em Java e faz parte da família Araliaceae.

Pode-se dizer que ela possui o ciclo de vida perene e que precisa de sol pleno para ficar saudável e bonita, mas também fica bem na luz difusa e na meia sombra. Sobre as características, a altura varia entre: acima de 12 anos, 9 a 12 metros, e antes disso, de 6 a 9 metros ou de 4.7 a 6 metros.

Ela tem um único tronco ereto e ele tem pouca ramificação. As raízes se apresentam superficiais e “agressivas”. Por isso, elas afloram a superfície da terra daquelas que são mais velhas.

As folhas da árvore guarda-chuva se apresentam com as seguintes características: ovaladas e um pouco elípticas, os folíolos são pêndulos, além disso, elas são compostas, digitadas e muito grandes.

A cor das folhas da árvore guarda-chuva é um verde bem escuro e brilhante e a apresenta uma textura que faz lembrar do couro.

A árvore guarda-chuva também tem frutos, que são vermelhos, pequenos e globosos. Dentro deles, você pode encontrar sementes, entre 10 a 12, que parecem ter o mesmo formato de um rim.

Quem gosta mesmo dos frutos e também das flores são as aves silvestres. Elas encontram em ambos um néctar abundante, sem falar que a polpa é muito suculenta.

Sua inflorescência começa no fim da primavera e continua durante o verão. É quando a folhagem aparece ainda mais vistosa e grande.  Sobre as suas características, pode-se dizer que elas são rácemo, isto é, com divisões recobertas de pequenas flores, todas elas, na cor vermelha.

Schefflera actinophylla_OO

Curiosidade sobre a árvore Guarda-chuva
Os pássaros depois de saborearem o néctar dos frutos e das flores da árvore guarda-chuva, eles acabam fazendo a dispersão. Porém, a parte curiosa é que uma semente pode germinar bem no galho de uma árvore, o que é chamado de epífitas.

A árvore Guarda-chuva na ornamentação e no jardim
A árvore guarda-chuva pode ser usada para enfeitar um jardim, simplesmente assumindo o papel de árvore. Porém, ela pode ser usada de outras formas e por isso, é chamada de versátil.

Outra maneira de ter um exemplar da espécie e conduzindo-a em vasos, enquanto ainda são mudas jovens e neste caso, elas passam a ser um perfeito ornamento. Nesta fase, elas possuem uma folhagem linda que é perfeita para usar em vasos. E como ela não gosta de muita luz, não tem problema nenhum deixá-la dentro de casa, pelo contrário.

Se optar usá-la em um vaso dentro de casa, procure deixá-la em um lugar que pegue pouco sol ou de dia ou da tarde, mas que ela não esteja sujeira a correntes de ar. Também é importante que ela não fique em um ambiente com ar condicionado.

A árvore guarda-chuva, além da primeira espécie, pode ser encontrada em mais duas, a chamada “Nova”, que tem como principal característica os folíolos com recortes ou a variegata, que se apresenta com os folíolos com manchas creme.

É uma planta considerada de fácil propagação e por isso é dita como invasiva em determinados casos.

Schefflera actinophylla

Cultivo
Como já foi dito o tipo de luminosidade que a árvore guarda-chuva gosta, agora vamos somente reforçar dizendo em que tipo de luminosidade ela deverá ser cultivada, que é na meia sombra ou no sol pleno.

Outra coisa muito importante é a preparação do solo, que precisa ser enriquecido com matéria orgânica, fértil, e que seja drenável. Falando em irrigação, no primeiro ano ela deve ser feita regularmente. Todas essas indicações também servem para o cultivo em um vaso.

A árvore guarda-chuva não é uma planta que se adapta fácil, uma vez fora do clima e da luminosidade que ela precisa, ela perde o brilho das folhas. Por outro lado, é considerada uma árvore rústica, na prática significa que é muito difícil que ela adoeça.

Apesar de preferir o calor, ela até que suporta o frio, quando o mesmo não persiste por um longo período. O mesmo serve para os períodos de estiagem, se forem curto ela suporta. Porém, quando o frio é muito forte, e diante de geadas fortes, ela não suporta.

Por isso, não vale a pena tentar plantá-la em um jardim cujo o clima do lugar não é o ideal para ela. Prefira os locais com clima temperado.

Para completar, se você quer saber como multiplicar a árvore guarda-chuva, isso pode ser feito com alporques, sementes ou estaquia dos ramos.

Schefflera

O que é alporques ou alporquia
Fazer alporques significa estimular a planta para que as raízes cresçam mais rápido e forte, e isso se faz, enrolando um pedaço de ramo ou musgo, com um pedaço de plástico, que precisa ter sido umedecido antes. Espere passar um tempo para ver que serão formadas raízes, e daí elas podem ser retiradas para serem plantas.

Dia-de-Chuva